domingo, 18/07/2021
Falta pouco para 2021 Foto: Pixabay

Virada de ano ou mudanças no modo de viver?…

Iginio Rivero Moreno (*)

Já é muito comum falar do fatídico ano 2020. O morbo dos meios de comunicação é o que movimenta as vendas publicitariamente. Mas, não é por acaso viver um grande desafio? Não. É a nossa evolução como espécie, uma dinâmica para superar as adversidades. E o que nos tem levado  a ser o animal intelectual que somos? Já temos confrontado coisas ainda piores ao longo da nossa história humana, inclusive mais atrozes que a pandemia da chamada gripe espanhola, que cobrou mais de 50 milhões de vidas humanas, como foi a invasão e colonização europeia do nosso continente. Com tudo isso ainda estamos aqui.

O nosso problema atual não é a capacidade letal do vírus. O nosso problema é a hipocrisia, a ignorância e como nos confrontamos diante dessa realidade. Falamos temer pelas vidas das pessoas, porém, na realidade estamos aterrados diante da ideia da possibilidade de sair da nossa zona de conforto. Eu não estou  me excluindo dessa afirmação.

Covid-19

Será que nos inquietamos  com a mesma veemência pelo número de mortes por fome no mundo? Por acaso, ocupamo-nos como sociedade em pensar que temos outros desafios pela frente mais fortes ainda que a COVID-19? Temos o mesmo interesse em saber que existem doenças mais letais, que cobram mais vidas humanas anualmente, e que não são notícias NEWS? Que são produtos da poluição silenciosa dos alimentos que consumimos, como a obesidade mórbida, a diabetes e o câncer?

Natal, época de reflexão e paz, que deve ser usada para cada um autoavaliar sem autoenganos, com o máximo esforço do Amor, o rumo que levamos da nossa vida, e perguntar-nos o que fazer para mudar dentro de nós aquilo que como sociedade não estamos fazendo bem. Esse é o nosso real e autêntico desafio.

Deus Todo-Poderoso, ilumine com a sua infinita misericórdia os nossos corações. Traga Saúde, Fortaleza e  Paz para todos, e assim conseguirmos superar como humanidade, satisfatoriamente, as adversidades e triunfar sobre a ignorância e apatia, vencendo os medos que nos paralisam, para logo construirmos na Sabedoria Divina um caminho certo  para o futuro.

Abençoado 2021, Paz e Amor…

(*) Poeta e artesão venezuelano. Licenciado em Educação, especializado em Desenvolvimento Cultural pela Universidade “Simón Rodríguez”, Venezuela.

** Esse texto é de responsabilidade exclusiva do(a) autor(a).  Não reflete, necessariamente, a opinião do Só Sergipe.

Leia Também

Amor, me sustenta?

Um movimento interessante que surgiu nos últimos tempos, mas se tornou mais presente pós- movimentos …