sexta-feira, 16/07/2021
Roberto Carlos Currais: "Melhoria da qualidade no fornecimento de energia"

Energisa anuncia investimento de R$ 143,1 milhões em Sergipe

O diretor-presidente da Energisa Sergipe, Roberto Carlos Currais, anunciou ontem, em entrevista coletiva, que a concessionária fará um investimento de R$ 143,1 milhões este ano, visando, dentre outras coisas, a melhoria na qualidade no fornecimento de energia. A quantia é 62% maior  que o valor estimado para 2020 e este percentual é superior ao que a empresa investirá no Brasil: serão R$ 3,9 bilhões, 60% a mais que o valor estimado para o ano passado.

A maior parte dos recursos serão destinados à construção e manutenção de subestações, linhas e redes; combate ao furto de energia; renovação das frotas e às obras de melhoria da segurança visando a melhora da qualidade do fornecimento.

No item combate ao furto de energia – o popular gato – Roberto Carlos (RC) mostrou um dado interessante: entre as cinco a seis mil inspeções realizadas mensalmente, em 45%  delas são detectadas irregularidades. Para detectar esses problemas, a Energisa faz análise das contas, além de receber denúncias da população, dentre outras análises.

Na coletiva, RC  ressaltou que a concessionária vai investir R$ 6,3 milhões no combate ao furto de energia, que causa prejuízo para toda a sociedade. “Quem paga esse prejuízo é a sociedade”, lamentou RC. A empresa perde 140 gigawatts/hora de energia, o que equivale a um ano de fornecimento num município.

Embora furto seja caso de polícia, RC disse que a concessionária dialoga com os órgãos públicos estadual e municipais, mostrando a necessidade de regularizar algumas áreas que são invadidas, para que aquela comunidade possa ter energia elétrica. Sem essa normalização, a empresa não pode fornecer energia elétrica.

Obras

Para este ano, a Energia planeja realizar diversas obras na região, um investimento de R$ 21,5 milhões. Estão definidas a melhoria e ampliação do fornecimento de energia no Estado, como a ampliação da subestação Curituba, em Poço Redondo, e da subestação Graccho Cardoso, a construção da Linha de Transmissão para interligação da subestação de Jardim com a Seccionadora Nortista e obras de interligação para manobra e redistribuição de carga nos municípios de Lagarto, Itaporanga, Propriá e Itabaiana.  A empresa ainda tem disponível R$ 105,9 milhões para obras sob demanda.

Com aproximadamente 806 mil clientes divididos em 63 dos 75 municípios sergipanos, a Energisa emprega, em média, 1,5 mil colaboradores diretos e indiretos. Mas os números da concessionária não param aí. São 33 subestações, 380 mil postes, 51 mil transformadores, 27,6 mil quilômetros de cabos e redes, 343 veículos. A Energisa é uma das maiores pagadoras do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em Sergipe:  R$ 312,4 milhões.

PIX

De acordo com RC,  a Energisa Sergipe tem investido bastante em tecnologia, até mesmo para atender a uma demanda do consumidor sergipano que  prefere utilizar a tecnologia digital. Tanto que, a partir de amanhã, 11, os consumidores poderão fazer o pagamento das contas através do PIX.

A concessionária implementou a negociação de débitos, o pagamento parcelado das faturas em até 12 vezes, o pagamento através de cartão de crédito e a novidade foi o agendamento. A empresa tem o totem de atendimento na agência Siqueira Campos e, possivelmente, em março, haverá uma unidade no Ceac do Shopping RioMar.

Brasil

Ao todo, o Grupo Energisa, maior empresa privada de capital nacional do setor elétrico, prevê investimentos de R$ 3,9 bilhões para este ano, sendo R$ 2,8 bilhões destinados às concessionárias de energia, R$ 833,8 milhões aos empreendimentos de transmissão e R$ 214,8 milhões aos serviços 4D.

Os serviços 4D da Energisa – descarbonizados, descentralizados, digitalizados e diversificados – ,  através de suas  divisões Asol e Energisa Soluções,  serão 350% maior do que em 2020. O foco crescente em serviços baseados em tecnologias, com forte componente de sustentabilidade e energia renovável é uma das apostas do grupo para os próximos anos.

Leia Também

Ipea: 11% dos trabalhadores fizeram home office ao longo de 2020

O grupo de brasileiros que trabalhou de forma remota entre os meses de maio e …