terça-feira, 17/09/2019
Início » Editorias » Esportes » Charles Hardman » Atleta de jiu-jitsu veste quimono e pede ajuda de R$ 0,50 para ir ao campeonato internacional
Rádio FecomercioPowered by Rock Convert
Eduardo pedindo ajuda à população Fotos: Charles Hardman

Atleta de jiu-jitsu veste quimono e pede ajuda de R$ 0,50 para ir ao campeonato internacional

Compartilhe:
Colunista esportivo Charles Hardman

“Ajude um atleta a realizar seu sonho. Doe R$ 0,50”. É segurando uma folha de papel ofício com estas palavras que, diariamente, o jovem José Eduardo Santana Couto, 17 anos, pede ajuda a população para participar, em 2020, do Campeonato Internacional de Jiu-jitsu, no Rio de Janeiro. Vestido com o quimono, José Eduardo, faixa branca, categoria adulto galo, chama a atenção das pessoas que entram e saem do Mercantil Rodrigues, na avenida Tancredo Neves, local que escolheu para essa luta solitária. “Eu quero ir ao Rio de Janeiro para mostrar todo o  meu potencial”, afirmou.

Potencial é o que não falta ao atleta que, neste domingo, foi vice-campeão na terceira etapa do Campeonato Sergipano de Jiu-Jitsu, Tuchê, que ocorreu em Aracaju. Desde que começou a lutar, em 2016, que José Eduardo vem colecionando medalhas. São nove no total: duas vezes em Maceió pelo Campeonato Alagoano, sendo uma de prata e outra de bronze. E nas competições em Aracaju, três de ouro, três de prata e uma de bronze.

No calendário de competições de Eduardo está previsto, em setembro, o Campeonato Norte-Nordeste que acontecerá no município de Nossa Senhora do Socorro. Outra competição será o alagoano, em outubro. E fechando o calendário, em novembro, o Open de Salvador. Todas estas competições servem como preparação para Eduardo chegar com mais chances de medalha ao Campeonato Internacional, promovido pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ).

Nas ruas

Viajar para o Rio de Janeiro não é algo simples para quem está com o pai desempregado, e a mãe é diarista. Por isso, com foco e humildade, José Eduardo decidiu colocar o quimono e ir para as ruas na tentativa de sensibilizar a população.

Ele conta com a ajuda da irmã mais velha, Mirian Santana Couto, que é balconista numa loja de confecções. Solidária, ela disponibilizou o número de sua conta bancária para quem quiser e puder ajudá-lo. Se você quiser ajudar um atleta a realizar um sonho, anote estes números e seja solidário: agência 2382, conta poupança 013 00040521-9, da Caixa Econômica Federal.

Ativo e inquieto, Eduardo, que é aluno do 3º ano do ensino médio da rede pública estadual, está tentando uma reunião com a superintendente dos esportes e faixa preta de karatê, Mariana Dantas, do Governo de Sergipe, e com a Diretoria de Educação de Aracaju (DEA) para viabilizar algum tipo de patrocínio.

Trufas

A iniciativa de Eduardo em ficar em frente à loja com o cartaz pedindo uma ajuda de, apenas R$ 0,50, tem chamado a atenção de muita gente. O contabilista Gonçalo Bomfim foi um deles que doou uma quantia para o jovem atleta. Ele entende que a salvação do Brasil está na educação e no esporte.

“O governo está tirando verbas. Então, nada é mais justo do que ajudar com o próprio bolso”, disse. E acrescentou que são válidas as maneiras como o atleta está buscando recursos. “Até porque ele tem que correr atrás do sonho e isso já demonstra garra”, completou.

Eduardo também está vendendo bilhetes para rifar um relógio de pulso, no valor de R$ 3,00, cujo sorteio será no dia 25 de agosto. Outra maneira que ele pretende ganhar dinheiro é com as vendas de trufas pelas ruas. Para isso, já comprou as forminhas e garantiu que ele mesmo vai fazer e vender por R$ 2,00, cada.

Rei Leão

O atleta Eduardo e Junio, que colaborou

“Eu acho interessante essa iniciativa, porque ele [Eduardo] está em busca de um sonho. Eu assisti ao filme O Rei Leão, e ele mostra que não devemos esperar ninguém para avisar que podemos. Ao contrário, temos é que usar nossa força que vem de dentro para ir à busca dos nossos sonhos”, disse Junio Andrade dos Santos, 29 anos, que também é contabilista.

A cuidadora de idosos, Geílda Almeida, 38 anos, além de ter contribuído com Eduardo, aproveitou a oportunidade para fazer um apelo a outras pessoas. “Gente ajude, porque, assim, ajudaremos nossos jovens a crescerem na vida”, conclamou.

O professor de Eduardo, Eric Nunes, faixa preta 1º grau, disse que o fato de uma pessoa ir à frente de um supermercado pedir ajuda mostra firmeza de caráter e humildade. Eu o apoio, porque ele não está fazendo nada de errado, apenas,  buscando o sonho e isso é merecedor de elogios e aplausos”, afirmou.

Eric disse que os outros alunos da academia ajudam Eduardo que é seu aluno bolsista. O técnico disse, ainda, que o comportamento de Eduardo na academia é exemplar e, quando pode, faz dois treinos por dia.

Compartilhe:

Leia Também

Copa Santanna de Xadrez reúne 165 enxadristas de diversos colégios de Aracaju

Cerca de 165 enxadristas participaram da VII edição da Copa Santanna de Xadrez. O evento …

WhatsApp chat