sábado, 20/07/2019
Início » Literatura » André Brito » Tá vendo aí, Zé Oreba?
Rádio FecomercioPowered by Rock Convert

Tá vendo aí, Zé Oreba?

Publicado em 22 de janeiro de 2016, 21:19


Dia desses me deparei com um livro de Filosofia (a grande arte de pensar o mundo e a si mesmo) e senti uma nostalgia devastadora. Minha alma parecia saltar igual à raposinha da fábula, sem alcançar a alegria das uvas. Minha tristeza é por saber quanto se tem esquecido a verdadeira face da mãe de todas as ciências; o quanto se despreza o conhecimento em detrimento da informação superficial.

Cara, é coisa de doido! A superficialidade das informações toma o lugar paupaupaulatinamente a importância de se conhecer profundamente ou até mesmo os assuntos.

 -“Tava no fluxo, avistei a novinha no grau…”

Mas, mudando de pau pra cacete, fiquei estupefato, absorto e com vontade de vomitar quando vi (quando estava navegando pelas águas infindas da internet) um edital de um concurso em 2010 com vistas ao provimento de vagas no município sergipano de Nossa Senhora da Glória, terra boa, capital do ouro branco (e tome leiteeeee!!!).

Velho, os salários destinados aos cargos de Professor eram maravilhas da natureza do mundo bizarro (lembra da Liga da Justiça? Havia o Bizarro, vilão contrário do Super-Homem). O Professor nível 1 tinha salário previsto de R$ 380,00, sendo 40 horas semanais, com exigência de formação no Magistério ou Pedagogia com Habilitação para o Ensino Fundamental.

 – O nível está correto? Não deveria ser nível 0?

 Tudo bem, você pode até dizer que o ano era de 2010 e coisa e tal. Porém o que me chamou a atenção foi o fato de que o valor do salário previsto para esse cargo era o mesmo para pedreiro, eletricista, agente de serviços gerais e auxiliar de dentista. Ah, o vigilante também! Para essas profissões, a exigência de formação é… hummm… Ensino Fundamental Incompleto…

 – É pra rir?!

– Não!

– É pra chorar?

– Também não! Fique na sua, você nem liga pra isso!

 Aí eu fui fuçar mais um pouquinho (remexer em baú só dá problema) e descobri que havia cargos com salários maiores, a exemplo de técnico em laboratório e auxiliar de enfermagem, com salários previstos à época de R$ 600,20, e exigência de Ensino Médio completo. Claro que você, se fizesse o concurso, precisaria de um curso que habilitasse vossa senhoria a exercer a função.

Mas, se você tivesse nível superior em Letras – Inglês, História, Matemática e Educação Física poderia concorrer a um cargo acima do nível 1 e subir para um super salário de R$ 591,36. Já iria ganhar mais que um pedreiro.

 – Peraí, mas é mais baixo que o técnico.

– Tá vendo aí, Zé Oreba, foi estudar pra quê? Kkkkkkk

 Ainda tem gente que pergunta por que essa %$#@* de país está do jeito que está. Ah, vá à *&%$#.

 – “Tava no fluxo, avistei a novinha no grau! Sabe o que ela quer?”

Leia Também

Segurança do trabalho será tema de fórum em Sergipe

A segurança no trabalho é um assunto de importância ímpar que vem tomando corpo a …

Comentários