quinta-feira, 17/10/2019
Início » Artigos » O mercado de olho na alimentação infantil; mas pais devem ter cuidado na hora da compra
Rádio FecomercioPowered by Rock Convert

O mercado de olho na alimentação infantil; mas pais devem ter cuidado na hora da compra

Compartilhe:
(*) Talita Costa

O mercado de alimentos traz inúmeras opções para nutrir as crianças. Diversas marcas e tipos de comida parecem encher os olhos de quem precisa resolver rapidamente a fome dos “pequenos”. A alimentação fora do lar é uma  alternativa para os pais que não mais conseguem conciliar tanto trabalho com os cuidados da família.

Diversas empresas surgiram com o propósito de suprir essas necessidades. As escolas estão mudando a visão de que o lanche deve ser mais saudável e compatível com as necessidades dos alunos. Então, isso tornou-se um negócio.

A indústria de alimentos passou a produzir “substitutos” de refeições, não contribuindo para a formação de bons hábitos e ainda prejudicando a saúde dos consumidores, que estão em fase de desenvolvimento.  Com o aumento das alergias alimentares, os rótulos das embalagens passaram a informar tudo o que está contido ali, para não haver riscos do consumo inadequado, assim como intensificou a produção desses tipos de alimentos para dietas restritivas.

Link relacionado:

Alimentação & Trabalho: o equilíbrio é fundamental

Todavia, é de impressionar a quantidade de “guloseimas” vendidas nos supermercados; muitas dessas, eu diria, a maioria com alto teor de sódio, açúcar e gordura trans. As crianças são constantemente bombardeadas pela TV, como também através de estratégias de marketing a entenderem que esses produtos são a melhor forma de alimentar-se.

O ambiente escolar é o mais adequado para ações de educação alimentar, porém tem que haver um reforço em casa, pois os filhos tendem a seguir o exemplo dos pais na formação dos hábitos alimentares.  Muitos restaurantes, aderiram ao cardápio “kids”, que monta pratos atrativos  aos olhos das crianças, como fazer carinhas e cortes com moldes divertidos.

Diante de tudo isso, pode-se dizer que as crianças são um grande mercado consumidor e cada vez mais, as empresas se especializam nesse nicho promissor.

(*) Talita Xavier Costa é nutricionista e escreve quinzenalmente, às sextas-feira, no portal. Ela é pós-graduada em Gestão, qualidade e segurança em alimentação, especialista em Auditoria em alimentação e Nutrição; e especialista em Alimentação Escolar.
Compartilhe:

Leia Também

Você compra por impulso ou porque realmente precisa?

Quando falamos de educação financeira, o primeiro pensamento que vem em nossas mentes é que …

WhatsApp chat