domingo, 15/05/2022
Justino da Silva correu 24km e chegou em primeiro lugar geral Fotos: Secom/PMA

Corrida Cidade de Aracaju: após muito treino, vencedores comemoram subida ao pódio

Compartilhe:

Foram meses de preparação, marcados por treinos intensos, alimentação equilibrada e preparo emocional para superar os desafios do trajeto da Corrida Cidade de Aracaju, realizada neste sábado, 26, em comemoração ao aniversário de 167 anos de fundação da cidade. Para os atletas que cruzaram a linha de chegada nos primeiros lugares, o esforço foi recompensado com a subida ao pódio. São mulheres e homens que superaram centenas de competidores e conseguiram fazer a melhor prova da 37ª edição, nas três categorias: 5 km, 10 km e 24 km.

“É com imensa alegria que realizamos a 37ª edição da nossa corrida Cidade de Aracaju. Depois de dois anos suspensa, comemoramos o retorno do maior evento de rua do nosso estado'” destacou o prefeito Edvaldo Nogueira, acompanhado da primeira-dama, Danusa Silva, que participou da competição.

O primeiro a cruzar a linha de chegada, na Praça Inácio Barbosa, foi Jackson Souza, que competiu na categoria masculino 5 km. Ele conta que é uma grande alegria poder subir ao lugar mais alto do pódio. “Tenho o prazer de ganhar correndo em casa, no meu estado, e isso é mais gratificante ainda do que correr fora”, comenta. Para ele, o melhor da Corrida Cidade de Aracaju é o incentivo que recebe ao longo do percurso. “O povo fica na rua torcendo, gritando o nosso nome, incentivando: ‘você consegue’. É ótimo demais”, expressa.

Edvaldo Nogueira e as vencedoras

Luiza Andreza, 17 anos, que competiu na categoria juvenil, foi a primeira mulher a completar o percurso de 5 km. Competidora de provas de atletismo com menor trajeto, a jovem não imaginou ficar em primeiro lugar. “Consegui ganhar e estou muito feliz. Quando eu estava passando ouvia as mulheres falando: ‘é a primeira mulher, vai, vai’, isso me deu gás para dar o último tiro e ganhar a corrida. Foi muito animado ter esse apoio no meio do caminho”, relata.

Corredora desde 1997, Maria Gilda Antunes, 47 anos, foi a primeira Pessoa com Deficiência (PCD) a concluir a prova. “A organização está fantástica, como sempre separam as categorias, organizam a saída, a chegada, deram apoio a quem precisou.  Depois de dois anos sem competir, poder fazer uma corrida como essa, de uma grandeza dessa, é só gratidão”, diz.

Tarcísio Alves, 16 anos, foi o primeiro colocado na categoria cadeirante. “É uma sensação maravilhosa, essa é minha primeira corrida de rua e já fiquei em primeiro lugar, foi uma experiência incrível”, comenta.

Com apenas 15 anos, Clara de Jesus, de Alagoinhas, Bahia, foi a vencedora na categoria juvenil do trajeto de 5 km. Em sua primeira corrida, e com pouco tempo de treino, ela nem imaginava que estaria no lugar mais alto do pódio. “Confesso que até parei um pouco, fiquei muito cansada e achei que não ia pegar pódio, mas consegui e estou muito feliz. Até chorei de alegria”, conta.

Veterano no pódio

Morador de Garanhuns, Pernambuco, Marcos Antônio veio competir pela 10ª vez na Corrida Cidade de Aracaju e conseguiu o feito de ser o primeiro lugar masculino no percurso de 10 km.

“Já fui três vezes campeão, três vezes vice e três vezes terceiro lugar na corrida de 24 km. Me preparei mais uma vez para a prova mais longa, mas na quinta-feira senti um desconforto na panturrilha e decidi correr os 10 km. E agradeço a Deus por conseguir chegar em primeiro lugar”, comemora.

Marcos destaca que a Corrida Cidade de Aracaju é uma prova tradicional, que atrai atletas de alto nível de todo o Brasil. “Por isso que todo ano estou aqui competindo, já tenho amigos e uma parceria com o estado de Sergipe. Essa é a prova que abre o circuito nacional de corridas em 2022, e nada melhor para abrir a temporada do que a vitória na cidade de Aracaju”.

Jeane Barreto dos Santos, de Santo Antônio de Jesus, na Bahia, conquistou o primeiro lugar na categoria feminino dos 10 km. “É uma sensação maravilhosa ser vencedora. Eu vim para batalhar e conquistar, levar mais uma vez a medalha e troféu para minha equipe, a USA de Santo Antônio de Jesus. Minha preparação foi intensa e, graças a Deus, tudo saiu conforme o treinamento e aí está a resposta com o primeiro lugar”, agradece.

Foi saindo para treinar ainda de madrugada, conciliando a preparação com a rotina de trabalho, que Jeferson dos Santos conseguiu chegar em primeiro lugar na categoria servidor, na prova de 10 km.

“A corrida Cidade de Aracaju é uma das provas mais difíceis do Brasil, as ladeiras fazem com que seja um desafio à parte. Mas tudo acompanhado por esse clima de festa, que é um incentivo. A Prefeitura de Aracaju está de parabéns pela organização desse evento maravilhoso. É uma grande satisfação ficar em primeiro lugar na minha categoria, só tenho que agradecer. Viva o esporte, viva a saúde”, exclama.

Trajeto completo

Vencedor da edição 2015, Justino da Silva, 36 anos, natural de Dormentes, conseguiu mais uma vez o feito de ser o primeiro a realizar o trajeto de 24 km, cruzando a fronteira de São Cristóvão e chegando ao destino final, às margens do Rio Sergipe. “Estou muito feliz, só eu sei o que estou sentindo nesse momento”, salienta.

Justino, que vem de uma sequência de muitas vitórias, sendo campeão e recordista da Maratona do Rio de Janeiro em 2021, considera que a prova de 24 km da Corrida Cidade de Aracaju é uma das mais difíceis do Nordeste e do Brasil.

“É um percurso com muito sobe e desce, é um desafio. Só termina bem aqueles que estão bem preparados, se treinam pra ela. Este ano eu estava bem preparado. Saí de casa dizendo que ganharia  e consegui”, vibra.

Mirela Saturnino, vencedora nos 24 KM

A maratonista pernambucana Mirela Saturnino, um dos principais nomes do atlestismo nacional com mais de 450 troféus e 350 medalhas, foi a primeira mulher a completar o trajeto de 24 km. “Eu vim focada, porque já corri a Cidade de Aracaju uma vez e fiquei como vice e disse para mim mesma: ‘um dia eu vou acertar e conseguirei ganhar Aracaju’. Este ano eu treinei, me preparei e consegui alcançar esse objetivo”, relembra.

Para Mirela, é uma honra chegar ao pódio nessa competição tão importante. “Para ganhar essa prova, que é muito difícil, pois tem muita subida e desafia a pessoa, é necessário o conjunto de força, pensamento focado, contrair o abdômen, respirar fundo e continuar acreditando, focando na chegada. A mensagem que eu deixo para as pessoas é que sejam mais fortes do que seus medos, porque medos todos nós temos. Mas o mais importante é continuar fazendo sem desistir de nós mesmos”, incentiva.

 

Últimas notícias:
Compartilhe:

Leia Também

corrida

Sustentabilidade no esporte: Ball e Minalba levam água em lata para Circuito Santander Track&Field Run Series em Aracaju

O Santander Track&Field Run Series, maior circuito de corridas de rua da América Latina, apresenta …

Deixe um comentário