domingo, 22/09/2019
Início » Editorias » Segurança Pública » Coronel da PM chama advogado de “vagabundo”
Rádio FecomercioPowered by Rock Convert
Advogado Walla diz ter sido agredido por policiais militares Fotos: redes sociais

Coronel da PM chama advogado de “vagabundo”

Compartilhe:

O comandante de Policiamento da Capital, coronel Vivaldy Cabral, gravou um vídeo onde chama de “vagabundo” o advogado Edimar Cruz Menezes. O oficial saiu em defesa dos colegas militares, porque pouco antes, no Facebook, Edimar disse que na “Polícia Militar tem um bando de gente despreparada e de vagabundos”.  O pronunciamento do advogado foi por conta de um problema envolvendo o também advogado  Walla Fontes Viana, que teria sido agredido por militares em Lagarto, no último domingo.

A atitude de Edimar também teve repercussão na Assembleia Legislativa, pois o deputado Capitão Samuel repudiou as provocações e colocou à disposição dos militares a sua assessoria jurídica.  “Repudio a execração e o juízo antecipado que vem sendo feito aos policiais militares do 7º Batalhão, que atenderam a uma ocorrência na cidade de Lagarto, envolvendo um advogado, sem sequer se respeitar o princípio do contraditório e da ampla defesa”.

Já o coronel Vivaldy Cabral gravou o vídeo e disse: “quero  aqui dizer advogado, que vagabundo é você. Respeite a minha polícia”.

Veja o vídeo:

Diante da repercussão, o advogado Edimar Cruz Menezes, se desculpou  e escreveu no Facebook  que  “tem inúmeros amigos e conhecidos policiais militares, a quem peço sinceras desculpas se sentiram atingidos pelo comentário. Estes me conhecem e sabem do meu apreço pela policia enquanto instituição”. Sem dimensionar a força que tem as redes sociais, ele complementa: “eu não achava que uma resposta a um comentário numa postagem do Facebook teria tanta repercussão”.

Leia o texto em que Edimar pede desculpas por ter chamado os militares de “vagabundos”.

O advogado chamou os militares de “vagabundos e despreparados” porque teriam agredido o também advogado Walla Fontes Viana, que alega ter sido preso após buscar informações sobre a detenção de um parente numa festa de pré carnaval em Lagarto, no dia 24, domingo.

Compartilhe:

Leia Também

Operação do Gaeco ocorreu em nove Estados; em Sergipe, o alvo foi o Hospital de Cirurgia

A  terceira fase da Operação Metástase desencadeada hoje em Sergipe, pelo Grupo de Atuação Especial …

WhatsApp chat