sábado, 04/09/2021
Farinha de mandioca: vilã das dietas Foto: Rose Garcia

A farinha de mandioca é prejudicial à saúde?

(*) Talita Costa

A mandioca é uma raiz muito cultivada e consumida em todo o Brasil. De norte a sul, pode-se encontrar diversas plantações e suas várias versões de consumo. Mas, aqui no Nordeste, principalmente, existe uma forma mais peculiar de utilizá-la.

A farinha de mandioca é altamente consumida, tanto isolada como em diversas preparações.

É um alimento nutritivo e que promove diversos benefícios à nossa saúde. É conhecida por ser uma vilã das dietas, uma vez que favorece o aumento de peso, mas, se consumida adequadamente não provoca aumentos significativos.

Em 100 gramas do produto, nota-se a presença significativa de alguns minerais como 1 grama de ferro, 65 mg de cálcio, 40 mg de magnésio e 300mg de potássio, ajudando a equilibrar a refeição.

Não se pode esquecer dos hábitos e costumes de um povo quando a utiliza no preparar de pirão ou farofa. Na região Norte do Brasil, serve a farinha combinada com açaí e peixe.

A farinha de mandioca é uma excelente opção para o desenvolvimento de receitas para celíacos, pois não contém glúten.

Patrimônio

Em Sergipe, as casas de farinha receberam o título de Patrimônio Cultural e Imaterial. Elas trabalham com insumos provenientes da agricultura familiar e são em sua maioria artesanais.

Diante de toda reflexão, vale ressaltar que não existe alimento proibido. Deve-se sempre buscar uma forma consciente de consumo.

 

(*) Talita Xavier Costa é nutricionista – CRN5 6605,  pós-graduada em Gestão, Qualidade e Segurança em Alimentação, especialista em Auditoria em Alimentação e Nutrição e especialista em Alimentação Escolar.

** Esse texto é de responsabilidade exclusiva do(a) autor(a).  Não reflete, necessariamente, a opinião do Só Sergipe.

Leia Também

As artes dentro do contexto cultural

Ao falar de cultura, é indiscutível o relacionamento com as manifestações artísticas. Embora tenham explicado …