terça-feira, 23/10/2018
Início » Editorias » Segurança Pública » Revista em Cadeião Socorro não encontra produtos ilícitos
Duplichaves
Agentes e guardas prisionais do Cadeião de Socorro fizeram operação pente-fino na unidade

Revista em Cadeião Socorro não encontra produtos ilícitos

Share Button

Em uma revista minuciosa feita nesta quarta-feira, 20, no Cadeião de Nossa Senhora do Socorro, que abriga atualmente 266 internos, nenhum produto ilícito foi encontrado nas celas. Esse resultado positivo faz parte da política de segurança implementada pelo secretário de Justiça e Defesa do Consumidor, Cristiano Barreto, e que vem sido seguida à risca, não só pelos diretores das unidades prisionais, mas também pelos agentes e guardas prisionais.

Uma prova do compromisso dos agentes e guardas prisionais é que, na revista de hoje,  quatro deles estavam de folga e decidiram se somar ao grupo, enquanto outro, que deixaria o plantão hoje cedo, resolveu participar para ajudar os colegas. Segundo o diretor do Cadeião de Socorro, Jean Guimarães, que coordenou o serviço, cerca de 10 servidores da Sejuc atuaram das 7h30 às 12 horas.

“Os guardas e agentes do Cadeião fizeram a revista com empenho, com objetivo de manter a segurança e evitar possíveis tentativas de fugas. Também foi feita a higienização das celas, verificadas suas estruturas e nada de anormal foi encontrado”, explicou Jean. Ele acrescentou, ainda, que o diretor do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe), Agenildo Júnior, informado com antecedência desta revista, aprovando a iniciativa da direção e servidores.

“Esse resultado positivo se deve a intensificação do trabalho de revista e prevenção, cumprindo uma determinação do secretário Cristiano Barreto que tem dado melhores condições de trabalho a todos os servidores, a exemplo da aquisição das pistolas e demais equipamentos de proteção individual”, afirmou Agenildo, referindo-se ao fato de nada de ilícito ter sido encontrado no Cadeião de Socorro.

O secretário Cristiano Barreto, por sua vez, ressaltou que  o empenho dos servidores tem sido primordial para diminuir  e praticamente zerar o ingresso de produtos ilícitos nas unidades. Outro fator que contribuiu para esse sucesso  e que tem auxiliado bastante o trabalho dos servidores,  foi  a implantação de body scan (escâner corporal) nas unidades.

Assim como no Cadeião de Socorro, não há registro da entrada de materiais ilícitos no Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho (Compajaf), Cadeia Territorial de Estância Tabelião Filadelfo Luiz da Costa, Cadeia Territorial de Areia Branca Antônio Nascimento Nogueira e no Presídio Feminino (Prefem).

 

Share Button
WWebsites

Leia Também

Homem invade prédio da PF é preso, mas Justiça Federal solta

A Polícia Federal prendeu, na madrugada de sábado para domingo, o ex-presidiário Wellington Santos Mota, …