sexta-feira, 06/12/2019
Início » Artigos » O que você precisa saber sobre fundos de investimento em renda fixa
Powered by Rock Convert

O que você precisa saber sobre fundos de investimento em renda fixa

Compartilhe:
David de Andrade Rocha (*)

Os fundos de investimento em renda fixa são bem tradicionais no Brasil, pois existem vários gestores de fundos de investimentos, desde os grandes bancos a gestores independentes. Todos os fundos são regularizados e fiscalizados pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais) e pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Um fundo de investimento funciona como um condomínio onde cada pessoa possui uma quantidade de cotas. Como eles trabalham com um volume muito grande de dinheiro, conseguem custos menores e rentabilidades melhores, o que se reflete em uma maior rentabilidade para os investidores.

Os fundos de renda fixa têm como principal objetivo superar o CDI ou acompanhá-lo e para isso eles compram ativos de renda fixa que acompanhem o CDI e negociam com os Títulos Públicos quando isso se faz necessário. Os fundos têm uma vantagem muito grande ao negociar com os Títulos Públicos, já que eles são isentos de imposto de renda para comprar e vender esses ativos, fazendo com que eles possam sair com rentabilidades não acessíveis às pessoas físicas. Essa isenção ocorre porque o investidor deve pagar imposto de renda por estar alocado no fundo, portanto, se o fundo também tivesse a necessidade de pagar o IR estaria caindo em um caso de dupla tributação, que é proibido no Brasil.

Por falar em imposto de renda, o investidor de um fundo de investimento deve ficar atento para o caso de esse imposto ser cobrado semestralmente com o chamado Come-Cotas, o que pode em muito afetar sua rentabilidade.

Ao pensar em investir em um fundo, o investidor deve fazer algumas pesquisas sérias sobre o fundo que quer investir, pois, muitos gerentes costumam alegar que a rentabilidade passada de um Fundo de Investimento é muito boa, mas isso não prova nada, pois rentabilidade passada não garante rentabilidade futura, eis algumas dicas que podem ser observadas na hora de se investir em um fundo de investimento.

O fundo é ativo ou passivo: Um fundo ativo tem como meta superar o CDI, logo, os gestores do fundo vão correr atrás de ativos bons e ficar de olho em oportunidades; já os fundos passivos tendem a acompanhar o CDI, então, seus gestores irão apenas comprar ativos que acompanhe a variação do CDI e ficar sentados esperando isso acontecer; logo, prefira fundos que se denominem ativos, só é interessante acessar um fundo passivo se você precisa retirar o dinheiro no curto prazo, já que esses fundos têm prazos de liquidação menores.

Busque Fundos que paguem performance:  Quando o fundo paga taxa de performance para seus gestores eles ficam mais interessados em conseguir ótimas rentabilidades, o que reflete na rentabilidade de seu investimento. A performance é uma porcentagem pré-acordada sobre a rentabilidade que superar o CDI, por exemplo: o fundo pode cobrar uma performance de 20% da rentabilidade que superou o CDI. Logo, os gestores vão se interessar em vencer o CDI, já que eles ganhariam mais fazendo isso, assim o investidor também ganha e todos ficam felizes.

Observe a taxa de administração: existem muitos fundos passivos que cobram taxas de administração grandes, enquanto que existem fundos ativos que cobram taxas pequenas de administração, então, não vale a pena pagar muito caro para alguém tentar acompanhar o CDI. Você pode acompanhar o CDI com um CDB, por exemplo, sem precisar pagar taxa de administração, então cobre performance dos gestores; já que você paga a taxa, exija que seu dinheiro rentabilize mais que a média do mercado. Para um fundo de renda fixa as taxas de administração não devem passar de 2% a.a. já que não é nada que exija um trabalho tão minucioso para justificar taxas maiores.

Liquidez: Observe a liquidez do fundo para que não fique preso em fundos ruins por muito tempo. Existem fundos que disponibilizam o dinheiro no mesmo dia e há fundos que chegam a pedir um prazo de 90 dias para que o dinheiro esteja na sua conta, então veja se a liquidez do fundo lhe é interessante.

Essas dicas já ajudam a escolher bons fundos; quando for investir em um fundo observe-as e peça também a Lâmina do fundo, que é onde constam as informações de alocação dos recursos e a rentabilidade histórica do fundo,  Isso te dá informações interessantes sobre o local onde irá colocar seu dinheiro.

Os fundos são ótimas ferramentas que podem ajudar o investidor a diversificar seus investimentos com pouco capital e baixo custo, assim, deve ser muito bem observada sua forma de agir para que cada vez mais possamos rentabilizar nosso capital.

(*) David Rocha escreve semanalmente, às terças-feiras. Ele é assessor de investimentos e educador financeiro, que vive o mercado diariamente, desde 2011, e autor do livro Tesouro Direto – Um Caminho para a liberdade financeira de 2016.

Compartilhe:

Leia Também

A adoção de portadores de necessidades especiais

O desejo pela maternidade ou paternidade leva casais a planejarem uma família. Algumas vezes, no …

WhatsApp chat