sábado, 02/07/2022
É preciso verificar a veracidade do site, os preços dos produtos e a confiabilidade do anúncio feito na internet Imagem: Pixabay

E-Crime: Saiba como comprar online sem ser vítima de golpes

Compartilhe:

Uma compra pela internet pode resultar em prejuízos financeiros como o não recebimento do produto ou, até mesmo, em ter os dados bancários utilizados em transações não autorizadas. São diversas as possibilidades de golpes que são praticados no ambiente virtual pelos cibercriminosos, mesmo em plataformas verdadeiras e consolidadas no mercado. Por isso, é preciso ficar atento ao fornecimento de dados e informações, desde a pesquisa pelo produto até a concretização da compra.

A delegada Lauana Guedes destacou que, em relação às compras seguras na internet, é importante que as pessoas utilizem apenas o site oficial daquela loja. “Nunca se deve clicar em qualquer link, pois pode ser falso. Nem mesmo o cadeado, que você visualiza no canto esquerdo superior da tela, é um indicativo de que o site é verdadeiro porque o fraudador pode imitar o layout da página”, observou.

Conforme evidenciou a delegada, a forma de garantir que se está acessando o site verdadeiro é digitar o endereço no navegador de internet. “É importante que as pessoas digitem o endereço do site por completo, até mesmo porque pesquisar pelo site no Google também pode levar a páginas falsas. O primeiro site a aparecer na busca também pode não ser o oficial. Então é importante digitar o endereço do site por completo”, orientou.

Além desse cuidado, a delegada Suirá Paim relembrou que os preços também são indicadores da veracidade do site. “Desconfie sempre de mercadorias, produtos sendo oferecidos com valores muito abaixo do mercado. Não existe isso de objetos sendo negociados em uma loja por R$ 100 e outra loja vendendo por R$ 20, por exemplo. A maioria dos casos é golpe. Então é preciso sempre desconfiar de mercadorias sendo negociadas com valores muito abaixo do mercado”, alertou.

Como não cair em golpes nos sites de vendas?

Antes de fazer uma compra, a pessoa também pode pesquisar pela reputação e pela confiabilidade da empresa, conforme destacou Suirá Paim.  “Antes de efetuar a negociação, pesquise a respeito da empresa. Existem sites, existem locais em que a gente pode pesquisar a reputação daquele estabelecimento em relação a prazos, a pagamento, a recebimento. É possível se cercar de cuidados para evitar cair no golpe. É necessário ter cautela”, indicou.

Como verifico se a empresa é segura?

A delegada Lauana Guedes recomendou a pesquisa da confiabilidade da empresa em sites especializados, que inclusive reúnem a experiência de outros usuários com a plataforma. “Uma das formas de perceber se a empresa é segura é o site Reclame Aqui. Se você perceber que ela tem várias reclamações, já é um indicativo de que essa empresa está sendo utilizada apenas para a prática de golpes. É um dos muitos mecanismos que as pessoas podem ter para entrarem apenas em sites verdadeiros”, recomendou.

Posso usar o cartão de crédito digital?

Suirá Paim também aconselhou a utilização do cartão virtual em compras pela internet, de modo que os dados que venham a ficar salvos na plataforma não possam ser utilizados em transações fraudulentas. “É possível que a gente use essa ferramenta. A pessoa cria o cartão de crédito digital, efetua aquela compra naquele momento e depois aquele cartão é descartado. É mais seguro do que colocar os dados do seu cartão físico no site para fazer uma compra. As instituições bancárias já têm essa opção para o consumidor”, sugeriu.

Como funciona o golpe da OLX?

Lauana Guedes rememorou que uma prática muito comum são os anúncios falsos em um site de vendas verdadeiro. “Em relação ao golpe do site de vendas que, apesar de ser antigo, as pessoas ainda caem, a vítima está na plataforma correta, mas os golpistas conseguem imitar o anúncio e até mantém contato com o verdadeiro dono do objeto e consegue convencê-lo a retirar o anúncio do site. Quando o anúncio verdadeiro é retirado, o golpista se passa pelo vendedor”, informou.

Após o cibercriminoso se passar pelo vendedor, ele começa a conversar com as vítimas, que são pessoas interessadas em adquirir o produto, como um carro, por exemplo. “Com isso, o golpista vai manter contato com o suposto comprador e vai fazer o jogo duplo. Vai se passar tanto pelo vendedor, quanto pelo comprador. E para não cair neste golpe é importante não aceitar omitir informação. Nunca minta e nem omita informações. Sempre converse sobre todos os detalhes do anúncio e da venda”, alertou Lauana Guedes.

 

Fonte: ASN

Últimas notícias:
Compartilhe:

Leia Também

Primeiro fim de semana de julho terá predominância de chuvas e tempo nublado em todo o Estado

Em consequência da frente fria que se entende pelo Oceano Atlântico, as chuvas que predominaram …

WhatsApp chat