sábado, 31/10/2020
Os enxadristas comemorando mais uma conquista Fotos: Charles Hardman

Copa Santanna de Xadrez reúne 165 enxadristas de diversos colégios de Aracaju

Colunista esportivo Charles Hardman

Cerca de 165 enxadristas participaram da VII edição da Copa Santanna de Xadrez. O evento aconteceu no último sábado, na quadra de esportes do Colégio Santanna, em Aracaju. Os enxadristas estavam distribuídos nas categorias do sub 8, 10, 12, 14, 16 e 18.

 

A competição faz parte do calendário da Federação Sergipana de Xadrez (FSX) e contou com alunos das escolas Alternativo, Amadeus, Aprendiz, Arquidiocesano, BabyLeu, CCPA, Cirandar, Coesi, Master, Santa Chiara e Valdete Dórea, do município de Tomar do Geru. E do Projeto Despertar, localizado na cidade de Nossa Senhora do Socorro.

Da esquerda para direita, Clarissa e colegas recebendo medalhas

Krystal de Oliveira Fontes Barbosa, sub 8, da escola Cirandar, disse se sentir ótima e muito feliz em subir ao pódio, e ostentar a medalha de ouro. Ela disse, ainda, que quer competir mais para poder conquistar outras medalhas.

O atleta Saulo Menezes Calazans Eloy Neto, sub 10, do colégio CCPA, ganhou medalha de prata. Para ele, foi muito bom competir e afirmou que agora quer se preparar mais para ser campeão mundial.

Já Bruno Wagner Milet Rodrigues, do sub 10, e aluno do Colégio Aprendiz, assegurou medalha de bronze e disse que foi muito importante conquistar o terceiro lugar, representando o colégio e com isso ficou muito feliz.

Na competição, apenas os primeiros colocados de cada categoria receberam troféus, além das medalhas de ouro. Porém foram asseguradas a todos os enxadristas da faixa etária entre 8 a 10 anos medalhas de participação.

Suporte pedagógico

Para Fabiana Souza Santos, supervisora pedagógica, do Colégio Santanna, o xadrez é um excelente suporte pedagógico, pois integra diversas disciplinas como Matemática, Artes e História. Além disso, trabalha diversas habilidades tais como memória, concentração, planejamento e tomada de decisão.

“Inserimos o xadrez na grade curricular para alunos do 1º ao 5º ano, e do sexto ao terceiro ano do ensino médio como modalidade esportiva. Trabalhamos a competição de forma saudável e prazerosa, além de valores como ética, respeito, planejamento e para que pensem antes de agir. Esses valores são benéficos para o dia a dia na sala de aula, no entendimento das demais disciplinas, na conduta dos alunos na escola e fora dela”, completou Fabiana Souza.

Professor Papico: xadrez ajuda na concentração e no raciocínio

Há sete anos que o coordenador de Esportes do Colégio Santanna, Edvaldo Amorim, conhecido como Papico, desenvolve o xadrez como trabalho curricular e idealizou a Copa que hoje abrange outras escolas de Aracaju.  “O xadrez ajuda na disciplina, concentração, raciocínio lógico para jovens. E leva-os a pensar antes de agir”, frisou.

O ensino do xadrez no Colégio Santanna levou o estabelecimento a apoiar o Projeto Despertar, que é desenvolvido em Nossa Senhora do Socorro. “São tantos os benefícios do xadrez, que o colégio inseriu essa modalidade no currículo”, reforçou o professor Papico.

Leia Também

Ciclistas sergipanos chegam a São Paulo depois de 13 dias de viagem

Pedalando, os sergipanos Adhemar Alves, João Alberto e Raimundo Júnior chegaram a São Paulo no …