sábado, 26/09/2020
A retomada das atividades começa dia 23 Foto: Agência Alese

Empresários apresentam sugestões para reabertura do comércio e aguardam novo decreto de Belivaldo Chagas

Os empresários sergipanos aguardam com expectativa a divulgação de mais um decreto do Governo do Estado para saber se haverá ou não algum tipo de flexibilização para abertura de alguns estabelecimentos comerciais. O superintendente da Fecomércio, Maurício Gonçalves, disse que o setor está tentando ajudar com o documento intitulado “Retomada gradual das atividades”, assinado por  representantes de 21 entidades, contendo sugestões e estudos sobre a volta ao trabalho.

Maurício Gonçalves, superintendente da Fecomércio: Não estipulamos data de reabertura

“Fizemos documento e não estipulamos data para a reabertura, pois a questão é de saúde pública. Mas, a partir deste documento, o setor tem protocolo pronto para poder enfrentar este momento.  Mas não podemos ficar com o comércio indefinidamente fechado”, pontuou Maurício Gonçalves. “Não tem economia que aguente ficar 70 dias fechado”, completou.

No documento constam ações base para as empresas aplicarem, caso a volta das atividades econômicas seja liberada. Cada entidade contribuiu com o planejamento, criando dispositivos para atender as normas técnicas estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde, com foco em evitar a transmissão do coronavírus. As sugestões contaram com a participação de profissionais da área de segurança do trabalho, para poder atender todas as questões possíveis no tocante à reabertura do comércio no Estado.

O presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, destacou que o momento é de união para que todos juntos vençam o coronavírus e impeçam que Sergipe enfrente dificuldades econômicas maiores. “Elaboramos as considerações para ajudar o governo no processo de proteção das vidas das pessoas e de reabertura da economia. Acredito que podemos ajudar a criar as melhores condições para tal. O momento é de agirmos todos unidos para Sergipe vencer essa pandemia”, disse.

Para o superintendente da Fecomércio, setores essenciais, como supermercados e farmácias, vêm dando exemplo nos cuidados com os colaboradores e clientes. “Vamos conviver com o vírus, então temos que ter máscaras, distanciamentos, etc. Os empresários vão fazer investimentos, como vem acontecendo no resto do mundo”, disse.

Esta prevista para as 16 horas de hoje,  uma  entrevista coletiva do governador Belivaldo Chagas, no Palácio de Despachos, para anunciar novo decreto com as medidas de enfrentamento a covid-19.

Leitos

Hoje, o mercado sergipano teve a boa notícia, por parte do Governo do Estado que anunciou mais 36 novos leitos de UTI para tratamento de pacientes diagnosticados com a covid-19. Seis estão em operação, desde o último sábado, no Hospital da Polícia Militar (HPM), 15 de UTIs na Clínica e Hospital Renascença, 10 leitos no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Lagarto, e outros cinco novos leitos de UTIs específicos para vítimas da doença no Hospital do Coração.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), Marco Aurélio Pinheiro, acredita que estes novos leitos “vão ajudar o governo a refletir melhor sobre o problema”. No entanto, ele preferiu não fazer nenhum prognóstico sobre o que pode vir no decreto de hoje.

Leia Também

Resgates superam investimentos no Tesouro Direto em R$ 1,14 bilhão

O Tesouro Direto registrou mais resgates do que investimentos em agosto. Foram realizadas 419.578 operações …