sexta-feira, 25/09/2020
Casa Solar: convênio transformou local em centro de treinamento de energias renováveis. Foto: Soninha Vill/GIZ EBC

Finanças e energia renováveis, parceiros muito importantes

David de Andrade Rocha (*)

Observamos nos últimos meses que devemos como sociedade nos preocupar com as nossas finanças e buscar conhecimento em diversas áreas de como elas podem ser melhoradas, para chegarmos, enfim, a um nível que seja no mínimo aceitável de segurança financeira.

Como devemos ser responsáveis pela correta utilização de todo o dinheiro que chega em nossas mãos, devemos lembrar de alguns aspectos que influenciam diretamente nas nossas finanças, aspectos esses que podemos chamar de sustentáveis.

Há alguns anos, ganhou força aqui no Brasil uma filosofia de vida mais “sustentávmeio ambienteel”, onde poderíamos reduzir os impactos no meio ambiente. O melhor dessa filosofia é que ela pode ser uma aliada para resolver dois problemas, o primeiro já foi citado, pois os danos causados ao meio ambiente são inúmeros, mas o segundo problema são as nossas finanças pessoais.

Vejamos, como exemplo: se reduzirmos o desperdício de água na sociedade como um todo, em suma, nossa conta de água viria mais barata e ainda conseguiríamos poupar esse recursos muito importante e finito, que é a água potável.

Ao evitarmos desperdícios e focarmos na correta utilização de itens como gás de cozinha, combustível, energia, alimentos, entre muitos outros, faremos assim sobrar alguma grana em nosso bolso e conseguirmos ainda auxiliar nosso habitat a ficar conservado, isso apenas com uma pequena mudança de postura como sociedade.

Esse debate hoje está sendo ainda mais importante, pois com o isolamento social, vimos que as pessoas passaram a estar mais em casa e isso gerou alguns gastos extras para todos, por exemplo, com alimentação e água.

Mas muitas pessoas estão realmente se surpreendendo com o aumento de suas contas de energia, que em alguns casos dobraram. A  Energisa lançou nota recomendando as pessoas a pouparem energia, já que nesse caso de demanda extra, o preço da tarifa por KW tende a aumentar, e com ele os impostos que incidem na conta.

Além de que nossa matriz elétrica não consegue suprir toda a energia demandada durante muito tempo. Nós ganhamos um pouco de tempo com o fato das indústrias em sua maioria estarem paradas, mas em breve se o consumo continuar subindo chegaremos a ter que ligar as termo elétricas o que encarecerá as tarifas, isso visto que o preço para encomendar a energia de outros países, caso se torne necessário, seria muito alto também.

Visto isso, algumas pessoas e empresas têm começado a investir em sistemas de geração de energia solar, que é mais uma fonte sustentável de poupar dinheiro, pois o retorno do investimento se dá em um curto período e a geração própria ajuda a não se ver afetado pela inflação energética.

Sergipe já conta com quase mil sistemas de energia solar instalados e funcionando, o que é em suma uma ótima notícia, pois nosso estado vem se tornando aos poucos mais sustentável e nesse período a energia solar gerada por algumas empresas como, restaurantes e industriais está sendo jogada na rede, o que vem ajudando a não aumentar absurdamente o preço da tarifa em nosso estado.

Mas, se você está pensando: “Ok, mas eu não tenho como instalar energia solar na minha casa…” temos duas reflexões a serem feitas, primeiro a energia solar tem baixo custo de instalação em relação aos benefícios, mas como ela é só um exemplo de sustentabilidade financeira, deixo a segunda reflexão, para vocês:

“Como nós podemos criar formas de sermos sustentáveis financeiramente em nossas casas…?”

Reflitamos…

Um abraço e até a próxima.

(*) David Rocha escreve semanalmente, às terças-feiras. Ele é assessor de investimentos e educador financeiro, que vive o mercado diariamente, desde 2011, e autor do livro Tesouro Direto – Um Caminho para a liberdade financeira de 2016.

** Esse texto é de responsabilidade exclusiva do autor.  Não reflete, necessariamente, a opinião do Só Sergipe.

Leia Também

Um auxílio emergencial de mil dólares: parece loucura, mas tem método!

Desde o início do mandato do Sr. Bolsonaro, os jornalistas Reinaldo Azevedo e Carlos Andreazza, …