terça-feira, 02/06/2020
Ilustração: Rildo Bezerra

Façam a coisa certa

Compartilhe:

Apesar do eleitorado ter todas as razões para duvidar da credibilidade da classe política brasileira, a história vai dando diversas oportunidades para que eles façam a coisa certa. E por mais que insistam no erro, a natureza – ou qualquer outro nome que o leitor queira dar – na sua sabedoria aponta caminhos corretos a serem seguidos. Mas como a escolha é de caráter pessoal, a maioria prefere seguir uma rota mais tortuosa. Com todos sabem, a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.

Essa semana surge um novo caminho. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal vai discutir e votar o parecer sobre as denúncias contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral). Nesse mesmo espaço, na semana passada, este articulista escreveu que o deputado relator Bonifácio Andada (PMDB-MG) iria ser contrário a autorização para investigar esse trio de caráter duvidoso.

Bonifácio não só foi contrário, como também saiu tripudiando todos os órgãos responsáveis pelas apurações, cujo compromisso é livrar o Brasil desses ratos e jogá-los no mais profundo calabouço até que possam ir para um umbral e aí, quem sabe, ter uma nova chance.

O problema é que essa categoria não quer aproveitar a oportunidade de reescrever a história do Brasil nesse mundo visível. Os políticos insistem em persistir na ignorância, na erraticidade, enquanto o Brasil, coração do mundo, vai lutando desesperadamente para sobreviver a tantos descalabros, a tantos roubos, inversão de valores e uma infinidade de mazelas.

Nas discussões que recomeçam essa semana, não faltarão negociatas para livrar o capo da investigação e falas iguais ou piores as de Bonifácio Andrada desqualificando os investigadores e exaltando a ladroagem.

Mas o Brasil sobreviverá!

Majesty - Escola de FinançasPowered by Rock Convert
Compartilhe:

Leia Também

Em época de covid-19 o individual ajuda o coletivo

“ Se não fossem iguais, os homens seriam incapazes de compreender-se entre si e aos …