quinta-feira, 14/01/2021
Bernard Gouveia: "Estamos preparados"

“Temos planejamento ágil para restabelecermos energia numa eventual ocorrência”, garante engenheiro da Energisa

“Existe um planejamento de contingenciamento para, em qualquer situação, tomarmos as ações de forma ágil para restabelecimento da energia numa eventual ocorrência”. A garantia é do coordenador de equipes  de campo do Departamento de Operações da Energisa, o engenheiro eletricista Bernard Gouveia, ao se referir ao apagão que, durante 22 dias, deixou  milhares de pessoas sem energia elétrica no Amapá. Segundo ele, os técnicos  estão presentes nos 63 dos 75 municípios, onde a empresa tem a concessão de energia para atender a demanda dos cerca de 804 mil clientes. Os outros 12 municípios sergipanos são atendidos pela Sulgipe, concessionária com sede em Estância.

“Fazemos simulações para que possamos, realmente, atender o fluxo de contingenciamento que nós prevemos, estruturamos e para garantir a recomposição numa eventual ocorrência”, reforçou Bernard Gouveia, ao  comentar que, em virtude do treinamento, os técnicos não se depararam, ainda, com alguma situação crítica  ou inusitada.

A Energisa Sergipe conta com cinco pontos de suprimento a partir da transmissora Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco) que cobrem todo o Estado. Estes pontos são os seguintes: Subestação Jardim e Nossa Senhora do Socorro, que atendem a região leste e sul; Itabaiana, na região centro e oeste; Penedo, que atende a região de Propriá; e Zebu, para região de Canindé do São Francisco.

Assim como aconteceu no primeiro turno das eleições municipais – no dia 15 de novembro – a Energisa também está preparada para o segundo turno, hoje, em Aracaju, seguindo um plano preventivo.  Essa semana, entre uma reunião e outra, Bernard Gouveia concedeu uma entrevista ao Só Sergipe.

 SERGIPE – Que estrutura a Energisa tem, atualmente,  para controlar um incidente no Estado? Há possibilidade de ocorrer um apagão por aqui, nos moldes do que ocorreu no Amapá?

Equipe da Energisa fazendo manutenção da rede elétrica

BERNARD GOUVEIA – A Energisa conta com um plano de contingência de transformadores, com equipamentos reserva, com ações estruturadas que é recomposição. Junto ao nosso centro de  operações, fazemos o monitoramento 24 horas por dia, sete dias por semana, e existe um planejamento de contingenciamento para, em qualquer situação, tomarmos as ações  de forma ágil e planejada para restabelecimento da energia numa eventual ocorrência. É importante lembrar que a Energisa conta com cinco pontos suprimentos, que são  a subestação do Jardim, Nossa Senhora do Socorro, a que atende toda região leste e sul da concessão de Sergipe,  fazemos a região centro e oeste e  a região de Propriá, e Zebu, que é  a quinta região suprimento, que atende o alto sertão, na região de Canindé do São Francisco. Então isso, nos traz uma robustez e confiabilidade no sistema que atende  a Energisa Sergipe para situações, realmente, em qualquer abrangência, para que possamos tomar as ações  na eventual ocorrência similar a que ocorreu no Amapá.

SS – Quantos  municípios sergipanos são atendidos pela Energisa?

BG – Nós atendemos 63 municípios, onde  nós contamos na distribuição com 33 subestações. Dentro delas, o transformador, que é o principal componente que transforma a tensão e rebaixa para atender os consumidores,  nós contamos com 50 transformadores de potência para que entreguemos uma energia com qualidade e confiabilidade.

A capacitação dos profissionais é constante na empresa

SS – E aqui onde o senhor coordena há treinamento constante, para atuar imediatamente e resolver qualquer demanda?

BG  – Sim, contamos com equipe especializada e sempre realizamos o que chamamos de “drill”, que na verdade são simulações para que possamos, realmente, atender o fluxo de contingenciamento que nós prevemos, estruturamos e para garantir a recomposição numa eventual ocorrência. Nós fazemos treinamentos e temos equipe para atender as demandas de forma planejada, estruturada.

SS –  O senhor já teve que atender a uma situação  que tenha sido a mais complexa, complicada de resolver?

BG –  Eu não tenho como ponderar sobre situações mais complicadas ou inusitadas aqui em Sergipe, até porque temos tido um  histórico muito positivo na qualidade de serviço. Quando olhamos para os indicadores de qualidade, vemos que entregamos um serviço de qualidade, atestado pelo órgão regulador. Então, não tenho nada de concreto para responder nesse sentido. Vimos trabalhando com indicadores e trazendo uma qualidade aguardada pelos nossos consumidores. Estamos numa crescente, melhorando, e os próprios consumidores reconhecem quando fazemos pesquisa de satisfação do cliente, organizados por órgão como Abradee (Associação Brasileira das Distribuidorasde Energia Elétrica).

SS – A Energisa é fiscalizada periodicamente pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)?

BG – Nós temos, sim, fiscalização da agência, conforme planejamento, e  isso tem ocorrido de forma positiva para  a Energisa, mostrando que a gente tem um trabalho certo e adequado.

SS – Hoje, a Energisa atende a quantos consumidores?

BG –  Nós temos em torno de 700 mil consumidores em nossa concessão em 63 municípios. Lógico que esse número é dinâmico e nós temos sempre o crescimento  do mercado.

SS – A Energisa tem investido no melhoramento dos equipamentos e capacitação de pessoal?

BG-  Temos um plano de investimento e estamos sempre preparados  para atender a demanda da nossa área de concessão.  Nosso plano de investimento tem um horizonte de 10 anos e todo ano nós reavaliamos, de modo a garantir o suprimento de energia, de acordo com a demanda do Estado.

SS – Há 15 dias, a Energisa se preparou para eleições municipais. Hoje temos eleições somente aqui na capital. Está tudo pronto mesmo?

BG – Temos um plano estruturado para eleições e tivemos sucesso no primeiro turno, com um trabalho dimensionado, dispostos de forma estratégica.  Claro que existe todo um plano preventivo, de manutenção, garantindo a qualidade durante todo ano. E teremos, neste segundo turno, um plano para garantir o atendimento durante as eleições de qualidade.

SS – O senhor tem informações sobre os planos da Energisa para 2021?

BG – Esse planejamento é da área específica e não tenho detalhes nesse momento.

SS – Bom. Voltando ao assunto, podemos dizer que a empresa está preparada no Estado para não termos os mesmos problemas do Amapá?

BG – É importante deixar claro que estamos preparados para realizar, num contingenciamento, um atendimento com melhor qualidade, somos bem estruturados de forma robusta, para trazer a confiabilidade  para os nossos consumidores que acreditam na Energisa. Temos trabalhado dessa forma para garantir uma energia confiável e de qualidade.

SS – São quantos funcionários ligados ao seu setor?

BG – Hoje, na coordenação de campos, estamos com aproximadamente 400 colaboradores, distribuídos em toda  a área de concessão. Eles atuam de domingo a domingo. Fazemos, tanto intervenções emergenciais, a  pedido do consumidor, como ligações novas, outros serviços como aumento de carga, dentre outros.

 

Leia Também

Com queda de 43,8% no número de passageiros, Setransp perdeu mais de R$ 97,8 milhões

Nos primeiros 10 dias de janeiro deste ano houve uma queda de 43,8% no número …