segunda-feira, 22/11/2021
Augusto Couto, presidente do Sintasa: "Retirada de gratificações num momento grave de pandemia"

Sintasa protesta contra corte de gratificações nos salários de servidores e discutirá indicativo de greve

O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) realiza, na próxima segunda-feira, 28, uma assembleia online para discutir a retirada de gratificações, por parte do Tribunal de Contas do Estado (TCE), nos salários de cerca de 2.500 servidores que migraram para a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). O presidente do Sintasa, Augusto Couto, disse que será votado um indicativo de greve, diante das perdas salariais desses servidores. “Num momento de pandemia, isso é um absurdo”, disse o sindicalista.

Comunicado da Secretaria de Saúde aos servidores

O valor das gratificações de desempenho e criticidade variam de R$ 50 a R$ 1.500,  que incidiam sobre os salários dos servidores. Segundo Couto, os funcionários já recebiam essa gratificação desde 2012 “e agora resolveram tirar no momento em que  todos estão ajudando no combate à pandemia da covid-19. Muitos perderam a vida nessa luta”.

Como o corte já ocorreu, possivelmente, nos contracheques de outubro os servidores vão perceber a diferença. “Estamos todos indignados com a situação, por isso vamos votar um indicativo de greve”, reforçou Augusto Couto.

Projeto

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que em virtude de decisão do TCE, elaborou um projeto e vai encaminhá-lo para a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), para que os servidores não tenham prejuízos.

Ainda não há uma data para envio do projeto para Alese.

Leia Também

Vacinação contra Covid-19: confira o cronograma da semana de 22 a 27

Nesta segunda-feira, dia 22, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde …