quinta-feira, 04/07/2024
Chuvas arrasam o Rio Grande do Sul Foto: Arquivo pessoal/Divulgação

Gaúchos que residem em Sergipe se mobilizam para ajudar conterrâneos

Compartilhe:

 

Uma tragédia sem precedentes no Rio Grande Sul – com 83 mortes confirmadas, 111 pessoas desaparecidas  e 336 municípios com decreto de calamidade pública pelo Governo Federal – causada pelas chuvas, sensibiliza os gaúchos que vivem em Aracaju, para ajudar os conterrâneos. A ADRA (Agência Humanitária da Igreja Adventista do Sétimo Dia), que tem uma coordenação em Sergipe, também está arrecadando mantimentos e pedindo ajuda financeira através do PIX.

O professor Ricardo Soares Mascarello disse que está “extremamente sensibilizado” com a situação dos conterrâneos. “Vivi 40 anos em Porto Alegre e estou há 17 em Aracaju.  Estou mobilizado para mandar ajuda a todos”, disse Mascarello que é arquiteto. “Faltou manutenção de contenção no rio Guaíba, que tem comportas antigas que se romperam. É o maior desastre ambiental do Brasil”, alerta o professor.  O rio Guaíba, ao qual ele se refere, banha os municípios de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Guaíba Barra do Ribeiro. O nível do rio estava 5,27 metros, até as 8 da manhã de hoje. Ou seja, está 2,3 metros acima da cotação de inundação.

Ricardo Mascarello morou em Lajeado durante cinco, que também foi atingida pelas chuvas. “A ponte não caiu, mas está comprometida e precisa de 30 dias para ser recuperada”, alertou. Questionado sobre os familiares que vivem em Porto Alegre, Mascarello informou que todos residem na parte alta e não foram atingidos, mas, obviamente, estão muito tristes com tudo que está acontecendo e se mobilizam para ajudar as demais pessoas.

Professor Mascarello e o aposentado Paulo Ricardo Saquete Martins

Outro gaúcho, o aposentado Paulo Ricardo Saquete Martins, 68 anos, está pedindo ajuda aos amigos sergipanos para ajudar os conterrâneos. “Minha cidade, Arroio dos Ratos, tem 14 mil habitantes, está isolada. Minha mãe mora lá sozinha e nós colocamos algumas famílias na casa. Arrecadamos dinheiro e mandamos, pois muitas pessoas perderam tudo. Aceitamos toda a ajuda possível”, disse.

Além de pessoas físicas, instituições estão ajudando os gaúchos

Adra

ADRA é um exemplo. O coordenador Alex Ramalho estava, agora pela manhã, mantendo contato com a Azul para enviar mantimentos. A Adra, que tem sede no Conjunto Augusto Franco, disponibilizou, um PIX, para que as pessoas possam fazer doações.

Alex afirmou que a Adra Brasil, através de uma unidade móvel, já está preparando 1.500 refeições diárias e lavando 1.500 quilos de roupa por turno, além e oferecer atendimento psicossocial. A carreta ficará estacionada no Parque Orktoberfest, em Igrejinha, pelos próximos 15 dias, pronta para ser deslocada conforme as necessidades emergenciais.

Maçonaria

O grão-mestre do Grande Oriente do Brasil/Sergipe, Volnei Melo Dias, disponbilizou o  número do PIX do GOB Rio Grande do Sul, para doações em dinheiro. Ele vai entrar em contato com empresas aéreas para saber de que forma pode enviar mantimentos para o gaúchos.

Azul

A companhia aérea Azul emitiu um comunicado, agora à tarde, que montou postos de arrecadação de mantimentos em 160 aeroportos, onde opera; e nas 103 lojas da Azul Viagens distribuídas pelo Brasil. No Aeroporto Santa Maria, em Aracaju, a Azul mantém uma equipe para receber donativos. Para fazer a entrega, basta ir ao aeroporto.

A Azul está ajudando os gaúchos Foto: Ascom/Azul

Segundo a Assistência Social da Prefeitura de Porto Alegre, os itens mais necessários para doação são alimentos não perecíveis e cestas básicas, itens de higiene pessoal – como pasta e escovas de dentes –, roupas de cama e banho e água mineral.

Os materiais coletados serão transportados diretamente para o Rio Grande do Sul por aeronaves da Azul. Com uma frota diversificada, que abrange desde Cessna Grand Caravan até aeronaves dos modelos Airbus, a companhia tem a agilidade necessária para alcançar cidades menores e facilitar a logística de coleta e entrega das doações em diferentes partes do país.

Neste domingo (5), a Azul Conecta realizou um voo abastecido com itens essenciais para os impactados e, nesta segunda-feira (6), realizará uma segunda operação que partirá de Jundiaí com destino ao aeródromo de Belém Novo com mais itens essenciais e antenas Starlink, doadas pelo governo de Minas Gerais, que auxiliarão no reestabelecimento de conectividade nas regiões mais afetadas.

A Azul promove também uma campanha de doação interna entre os mais de 16 mil Tripulantes, e já arrecadou mais de 6 toneladas.

 

Compartilhe:

Sobre Antonio Carlos Garcia

Editor do Portal Só Sergipe

Leia Também

Cesta básica de Aracaju segue como a mais barata do país pelo 34º mês consecutivo

A cesta básica de Aracaju segue com a mais barata do país, pelo 34º mês …

WhatsApp chat