quinta-feira, 13/08/2020

Como aproveitar as oportunidades que surgiram na Bolsa?

Compartilhe:
David de Andrade Rocha (*)

Há pouco menos de três meses o mercado brasileiro foi atingido pela crise da covid-19 e o Ibovespa caiu enquanto o dólar subiu, muita gente perdeu empregos e muitas empresas faliram.

Aqueles que tinham suas margens de garantia constituídas puderam aproveitar as oportunidades que surgiram na Bolsa, onde muitas boas ações estavam sendo negociadas a preços ridículos de tão baixos.

Mas, as oportunidades ainda estão por aí, e você, está pronto para aproveitá-las?

Mesmo que no momento você não se ache pronto para aproveitar essa onda de alta, podemos ver algumas oportunidades surgindo no mercado, visto o cenário dos próximos meses. Observando tudo isso, o melhor para o investidor é criar uma margem de garantia que permita a ele surfar melhor essa volatilidade do mercado financeiro.

Logo, foquemos nisso, pois é certo que a segunda onda de queda virá, não sabemos quando, mas podemos planejar para estarmos melhor posicionados para nos beneficiarmos dela.

Porque digo que uma nova onda de queda virá? É simples:  o mercado está muito eufórico e sensível a qualquer notícia nesses últimos tempos, podemos dizer que está eufórico até demais. Então, como filtrar o que é valorização real do que é valorização apenas “per esperanças demais” em uma recuperação rápida da economia.

Outra coisa que corrobora que no médio prazo tenhamos uma queda tão acentuada quanto essa vista no momento, é que o governo dos EUA injetou muito dinheiro na economia mundial esses tempos. Dinheiro esse que não existe, logo, está sendo impresso na forma de crédito e, como sabemos bem, gera inflação e por isso o dólar vem se desvalorizando, principalmente porque as pessoas estão perdendo a confiança na moeda norte americana.

O Brasil tem ganhado atenção dos investidores por ser um dos poucos países que está emitindo quase nada de dinheiro além de suas reservas. O ministro da economia, Paulo Guedes, já deixou claro que não pretende acionar as impressoras e jogar essa conta para o futuro. Logo, se o Brasil agir correto, realmente temos uma chance de sair mais fortalecidos, economicamente falando, dessa crise do que pensávamos.

Oportunidades

Mas o que acontecerá quando o dólar não for mais tão confiável? Bom, o Brasil sofreria com essa cena, pois a moeda americana é a nossa principal fonte de reservas internacionais e isso teria um peso muito grande sobre nossa balança comercial e sobre o PIB.

Mas esses são problemas macroeconômicos. O que devemos pensar agora é, como posso estar preparado para uma possível segunda onda de queda? E como aproveitar as oportunidades?

Isso cada um de nós podemos fazer, cuidando de nossas finanças pessoais e de nossos investimentos. O primeiro passo é construir a margem de garantia e aprender mais de educação financeira, para poder observar o melhor momento de investir e a forma mais sustentável.

Se tiver dúvida, lembre:  sempre poderás contar com a Majesty Escola de Finanças para te ajudar.

Até a próxima!

Bons investimentos e abraços.

(*) David Rocha escreve semanalmente, às terças-feiras. Ele é assessor de investimentos e educador financeiro, que vive o mercado diariamente, desde 2011, e autor do livro Tesouro Direto – Um Caminho para a liberdade financeira de 2016.

** Esse texto é de responsabilidade exclusiva do autor.  Não reflete, necessariamente, a opinião do Só Sergipe.
Compartilhe:

Leia Também

Quanto tempo demora para ter direito à usucapião?

A usucapião é um instituto por meio do qual você adquire a posse de um …

Deixe uma resposta