quinta-feira, 14/01/2021
Alessandro Vieira: “É preciso garantir que a distribuição da vacina seja justa e equilibrada" Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Senado aprova projeto de Alessandro Vieira para distribuição de vacinas da Covid-19

O plenário do Senado aprovou por unanimidade nesta quinta-feira, 03, o projeto de lei – PL 4.023/2020 – do senador Alessandro Vieira, Cidadania-SE, que dispõe sobre as diretrizes que orientam a distribuição de vacinas contra a Covid-19 à população.

Projeto do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) garante vacina eficiente e gratuita contra a Covid-19 para todos os brasileiros que desejarem ser imunizados.

O projeto organiza a distribuição da vacina levando em consideração que a indústria já entende que a oferta inicial desses insumos não conseguirá atender a demanda mundial e que isso vai gerar uma acirrada concorrência para sua aquisição.

“É preciso garantir que a distribuição da vacina seja justa e equilibrada, possibilitando que todos estados tenham acesso aos futuros imunobiológicos”, diz Alessandro Vieira.

Além de prever prioridade de vacinação para idosos e pessoas com doenças crônicas, o senador argumenta que o PL também dá “transparência à utilização dos insumos adquiridos com recursos públicos e contribui para que não ocorra o desabastecimento de regiões carentes, em detrimento de outras mais favorecidas”.

Universalização

Também foi aprovada a emenda do senador Alessandro que pede a universalização das vacinas contra Covid-19 e garante que “todos os brasileiros terão direito às doses necessárias da vacinação contra a Covid-19, conferindo-se prioridade aos grupos mais vulneráveis de acordo com parâmetros científicos estabelecidos em regulamento”.

Segundo o senador sergipano, com a segunda onda da pandemia no novo coronavírus, a esperança está na “vacinação da forma mais ampla possível” dos brasileiros.

Leia Também

Com queda de 43,8% no número de passageiros, Setransp perdeu mais de R$ 97,8 milhões

Nos primeiros 10 dias de janeiro deste ano houve uma queda de 43,8% no número …