quarta-feira, 03/07/2024
Primeiro parto da Maternidade Lourdes Nogueira Foto: Michel de Oliveira/PMA

Prefeitura consolida modelo de humanização e eficiência na gestão da saúde pública de Aracaju

Compartilhe:

 

A saúde pública de Aracaju passou por uma transformação significativa nos últimos sete anos. Com isso, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é vista como um dos cases de sucesso por implementar diversas ações inovadoras, sem esquecer do compromisso contínuo com o cuidado humanizado, beneficiando diretamente a população que mais precisa do serviço.

Hoje, a capital sergipana colhe os frutos de um planejamento estratégico bem-sucedido, tornando-se um exemplo de gestão pública de saúde, revertendo, com muito trabalho e dedicação, o cenário de caos encontrado em 2017.

Unidade de Saúde Amélia Leite -prontuário eletrônico Foto: Ana Lícia Menezes/PMA

O secretário municipal da Saúde, João Vitor Burgos, que substituiu recentemente a médica Waneska Barboza, integra a equipe da SMS desde 2017, onde exerceu funções de diretor jurídico e de Vigilância Sanitária, e lembra que a atual gestão encontrou a saúde municipal em estado de colapso estrutural.

“No início, encontramos uma saúde arrasada, com vários problemas estruturais. Tivemos a oportunidade de contribuir para reverter a situação e hoje a saúde municipal está mais preparada, mais equipada e antenada com o que há de mais moderno para assistir a população”, conta, mostrando-se orgulhoso com os frutos colhidos.

Uma das marcas da gestão, segundo João Burgos, é a reestruturação das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Todas as 45 UBSs foram reformadas e equipadas com tecnologias modernas, como computadores, internet e dispositivos móveis para os servidores”, destaca.

Burgos conta que a Prefeitura, de forma pioneira no Estado, inovou com a implantação do prontuário eletrônico e do aplicativo Mais Saúde Cidadão, além da plataforma AjuInteligente, recursos que permitem o acesso digital ao histórico médico e a marcação de consultas, cartão de vacinação, resultado de exames, controle de medicamentos, Vigilância Sanitária, dentre outras funcionalidades.

A telemedicina também foi implementada na rede municipal, superando resistências iniciais e consolidando-se como uma ferramenta essencial no atendimento à distância. “Implantamos a telemedicina, uma inovação que encontrou resistência, mas hoje é uma realidade amplamente aceita e utilizada. Nós demos um leque de opções para que a população seja contemplada da maneira mais confortável para ela buscar os nossos serviços e a gente, efetivamente, conseguir fazer a entrega que a população precisa”, relata Burgos.

Marco histórico

No bairro 17 de Março, encontra-se um dos maiores símbolos de cuidado da Prefeitura para com a população: a Maternidade Municipal Lourdes Nogueira (MMLN), inaugurada em 14 de abril de 2023. A MMLN se destaca como a primeira unidade materno-infantil pública municipal, deixando sua marca na história da saúde materno-infantil da capital sergipana.

Fruto de um investimento superior a R$ 18 milhões, a unidade, por se tratar de um equipamento que funciona de maneira integrada à SMS, possibilita que o acompanhamento das gestantes ocorra desde a Rede de Atenção Primária, passando pelo acompanhamento gestacional, com consultas pré-natal e acolhimento pós-parto, tudo para garantir a oferta de um serviço de qualidade.

“A construção da Maternidade Lourdes Nogueira foi um marco significativo. Projetada para realizar até 500 partos por mês, a maternidade oferece um ambiente acolhedor e humanizado, beneficiando não só Aracaju, mas também outras regiões. Conseguimos salvar o projeto da maternidade, que estava abandonado, e refazê-lo dentro das premissas da política do Ministério da Saúde”, lembra Burgos.

Redução de filas

Nos últimos sete anos, a gestão focou também na redução do tempo de espera para consultas e procedimentos médicos. Esforços significativos foram feitos nesse sentido, principalmente, na área de oftalmologia. Com o Programa Ver a Vida, a Prefeitura de Aracaju garante, de maneira eficaz e célere, acesso à saúde ocular para toda a população. No período de 2022 a 2024, o programa realizou 218.688 procedimentos, entre consultas, exames e cirurgias.

“Conseguimos um avanço significativo na oftalmologia, equilibrando a oferta e a demanda. Quando eu digo que conseguimos reduzir a fila de oftalmologia é porque conseguimos equacionar a necessidade. Temos números positivos em outras filas de consulta que são muito menores do que na iniciativa privada”, destaca Burgos.

O gestor ressalta ainda que, em outras especialidades como neuropediatria e psiquiatria, onde há escassez de profissionais, a SMS utiliza o reforço da telemedicina para atender a população de maneira mais eficiente. “Nosso desafio é justamente achar saídas para que as pessoas sejam contempladas”.

Combate ao Aedes aegypti

Como resultado do trabalho contínuo da SMS ao longo de todo o ano, Aracaju tem se destacado no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, a febre amarela, a chikungunya e zika vírus, graças a ações contínuas de educação e prevenção. O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) mais recente aponta índice de 1,2 na capital, considerado de médio risco.  O LIRAa é fundamental para analisar os bairros com maior incidência do mosquito.

Combatendo o mosquito da dengue Foto: Marcelle Cristinne/PMA

Paralelo ao trabalho de coleta do LIRAa, os agentes executam o cronograma semanal de ações de combate ao Aedes , com visitas a residências, coleta de pneus, aplicação do fumacê costal e a realização de mutirões.

“Nós temos ações que não descansam. São ações educativas, ações midiáticas, informações, agentes de endemias que não param, a população que nos acolhe de maneira muito educada e hospitaleira, fazendo com que a gente chegue neste resultado. Nossa luta contra o Aedes aegypti é incessante. Mantemos um índice de infestação controlado e somos referência nacional nessa área”, afirma Burgos.

 

Referência em vacinação

Aracaju também é exemplo por encabeçar campanhas de vacinação, com alta cobertura vacinal em todo o calendário para adultos e, principalmente, crianças e adolescentes, ofertando vacinação, inclusive, nas escolas públicas e privadas da capital. Nesse sentido, as crianças têm a oportunidade de receber vacinas de rotina, como as contra febre amarela, HPV, varicela, meningite, covid-19, além das vacinas de campanha contra a influenza.

“Aracaju é referência em vacinação. E não é em uma ou outra vacina, é em todo o escopo vacinal, todo o calendário vacinal. Estamos combatendo o negacionismo e a desinformação, e promovendo campanhas constantes para aumentar a adesão da população. A gente entende que, muitas vezes, a baixa adesão das campanhas vacinais se dá por uma acomodação da população, fruto desse negacionismo que foi implantado recentemente, ainda na pandemia. Lamentamos muito por isso, só que a gente não descansa e vai para cima por meio de campanhas diversas, como poliomielite, influenza, bivalente, dengue, enfim. Estamos combatendo o negacionismo e promovendo campanhas constantes para aumentar a adesão da população”, salienta o secretário.

Estoque de medicamentos

A distribuição de medicamentos é outro ponto forte. Somente neste ano, já foram dispensadas 27.602.274 unidades de medicamentos comuns e controlados, o que corresponde a 91% da cobertura, enquanto 9% dos medicamentos que estão em falta já estão em processo de aquisição e, alguns destes, podem ser substituídos por outros que já constam nas farmácias das Unidades das Redes da Saúde.

Conforme João Burgos, para que o abastecimento aconteça de forma eficiente, são empenhados esforços na gestão de estoque e apoio logístico das redes, no intuito de não desassistir os usuários que buscam pelo serviço. Uma das etapas do ciclo da Assistência Farmacêutica é o planejamento na gestão de estoque, atuando com boas práticas farmacêuticas. “Nossa briga é pressionar para que a medicação chegue a quem precisa”, explica Burgos.

Assistência psicológica

A assistência psicológica também recebeu atenção redobrada da administração municipal, especialmente no pós-pandemia, com a inauguração de novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e a utilização da telemedicina para suprir a escassez de profissionais.

Outra iniciativa que merece destaque na capital sergipana é o Serviço de Apoio Psicológico (Sapsi), disponibilizado à população na Rede de Atenção Psicossocial (Reaps), voltado para o cuidado ao sofrimento mental. O serviço pode ser acessado de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, pelo telefone 0800 729 3534, opção 3.  A Reaps oferece ainda acompanhamento psicoterapêutico nas Unidades de Saúde da Família (USFs) e no Ambulatório de Saúde Mental pelos psicólogos das Referências em Saúde Mental.

“A parte de saúde mental é uma área que, no pós-pandemia, talvez seja a que mais ficou com demanda reprimida. Assim como essa área psicológica, todas as demandas eletivas sofreram um represamento nesse período, porque as pessoas estavam em casa, socializando menos, indo trabalhar só na necessidade e isso fez com que elas represassem as suas demandas. Estamos dando assistência dentro do componente das inovações, da telemedicina, inauguramos um Caps. É preciso observar que a mão de obra de médico psiquiatra é mão de obra escassa, não tem muita oferta no mercado, mas estamos ofertando para a população dentro do que o mercado nos permite. Embora a gente entenda que, mesmo com muita oferta desses profissionais, ainda assim teríamos demandas reprimidas consideráveis porque a gente, de fato, sofre os empecilhos que fogem a nossa governabilidade”, pondera o gestor.

Academia da Cidade

Aula na Academia da Cidade / Polo Cidade Nova
Foto: Michel de Oliveira/PMA

Com o Programa Academia da Cidade, a Prefeitura incentiva a população a adotar hábitos mais saudáveis e promover a prática de atividades físicas com o objetivo de controlar e reduzir doenças crônicas, como obesidade e sobrepeso. Presente em diversos bairros da capital, o programa conta atualmente com 16 polos que atendem a milhares de usuários, desde jovens a pessoas acima de 60 anos que, periodicamente, passam por uma avaliação para que o quadro clínico de saúde seja acompanhado durante a prática de exercícios.

“O programa Academia da Cidade promove a saúde por meio da atividade física, com alta adesão em todas as regiões de Aracaju. É um espaço de socialização e bem-estar, proporcionando saúde física e mental para a população. Fazemos com muito afinco. É bem bacana, até a energia é outra e vemos muitos resultados neste programa”, afirma Burgos.

Burgos diz que é possível, no setor público, combinar inovação tecnológica, humanização do atendimento e eficiência administrativa. “O caminho percorrido nos últimos sete anos é um testemunho de que, com visão e dedicação, é possível construir um sistema de saúde pública que ofereça qualidade e seja acessível para todos”.

 

Compartilhe:

Sobre Só Sergipe

Portal Só Sergipe
Site de Notícias Levadas a Sério.

Leia Também

Forró Caju 2024 promete ser uma das maiores festas juninas do país

  A capital sergipana se prepara para mais uma edição do Forró Caju. A festa, …

WhatsApp chat