quinta-feira, 13/01/2022
Os ganhadores do Prêmio TJSE de Jornalismo Foto: Raphael Faria/ Dicom TJSE

Portal Só Sergipe é um dos ganhadores do I Prêmio Tribunal de Justiça de Sergipe de Jornalismo

Compartilhe:

O Portal Só Sergipe foi um dos vencedores do I Prêmio Tribunal de Justiça de Sergipe de Jornalismo, cujo tema foi  “Direitos Humanos e a Justiça para todos”. A reportagem “Nome Social resgata a cidadania de pessoas trans; gratuidade faz pedidos aumentarem”, de autoria do jornalista Antônio Carlos Garcia, ficou em terceiro lugar na categoria Webjornalismo. “Foi uma honra muito grande para mim e para o portal ter recebido essa premiação”, afirmou o jornalista. A solenidade de entrega do prêmio foi hoje, 13, pela manhã, no auditório do Tribunal de Justiça.

“Uma iniciativa deste porte, aproxima mais a imprensa do Tribunal de Justiça sergipano, que tem um  papel fundamental na sociedade”, disse Garcia. Ele destacou, também, o trabalho desenvolvido pela Defensoria Pública de Sergipe e agradeceu a receptividade  do defensor público geral, Leó Filho, que lhe abriu as portas da instituição para que a matéria fosse apurada. “Leó foi fundamental, mas quero agradecer, também, ao defensor público Sérgio Morais,  responsável pelo Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos e Promoção da Inclusão Social (NUDEDH)”, frisou.

1. Antônio Carlos Garcia    2. Edson Ulisses, Ancelmo Gois, Garcia, Jouberto Uchoa    3. Garcia e Dra. Rosa Geane    4. Garcia com os colegas jornalistas    5. Garcia e Gois  Fotos: Jadilson Simões

 

“As informações dadas pelo defensor público Sérgio foram vitais para a confecção da reportagem. A reportagem, que você pode ler clicando aqui, conta a facilidade que as pessoas trans tiveram em usar o nome social que, a partir de uma iniciativa do NUDEDH,  solicitou da Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça de Sergipe a gratuidade de custas e emolumentos de averbações  de pessoas trans para a alteração de nome e gênero.

Palestra

Para a entrega do prêmio, o presidente do TJ, Edson Ulisses de Melo, convidou o jornalista Ancelmo Góis, colunista do jornal O Globo. Sergipano, natural de Frei Paulo, que falou da sua trajetória profissional.  Começou em Aracaju, na Gazeta de Sergipe e contou passagens interessantes ao longo de quase 60 anos de carreira. Uma delas, por exemplo, foi quando o astronauta Neil Armstrong  pisou na lua pela primeira vez, em  20 de julho de 1969. Diante desse fato histórico,  ele resolveu ir ao bairro América conversar com os moradores sobre o tema. Resultado: poucos acreditaram nesse feito.

O jornalista elogiou a iniciativa do TJ\SE e disse que “vê com alegria, grande prazer e contentamento iniciativas como essa, de abertura do setor, de organizar prêmios. O mundo tem algumas palavras-chaves e uma delas se chama transparência. Quem não entrar nessa onda de transparência via ficar para trás”. Ele ressaltou que na sua atuação como jornalista o “setor Judiciário sempre foi muito fechado. Se dizia no passado ‘a Justiça fala nos autos’.

VENCEDORES

Telejornalismo

1º lugar: Mudança no modelo de ressocialização em Sergipe provoca reinserção de jovens e adolescentes na sociedade, de Leonardo Gomes Barreto, Fredson Navarro, Remi Costa, Jeová Luiz e José Bosco, da TV Atalaia

2º lugar: Patrulha Maria da Penha assegura proteção de vítimas da violência doméstica durante a pandemia, de Gustavo Costa e Jackson Cabral, da TV PMA

3º lugar: 15 Anos Lei Maria da Penha, de Maristela Santos Niz, da TV Sergipe

Webjornalismo

1º lugar: Sem-teto – a vida de quem não tem um lugar digno para morar em meio à pandemia, de Wilames Rodrigues, do F5 News

2º lugar: Tribunais de Justiça têm sido a esperança para a saúde negligenciada, de Andréa Moura, do Pra você saber

3º lugar: Nome Social resgata a cidadania de pessoas trans – gratuidade faz pedidos aumentarem, de Antônio Carlos Garcia, do Só Sergipe

Jornalismo Impresso

1º lugar: 70% das famílias de sentenciados em unidades prisionais acreditam no trabalho do TJSE, Milton Alves Junior Santana, Jornal O Dia

Radiojornalismo

1º lugar: Mulheres encarceradas – amor, desagregação e luta, de Magna Santana, da Sim FM

2º lugar: Poderes que protegem, de Lucas Brasil, da Eldorado FM

3º lugar: Equidade de gênero e humanização a luta das pessoas LGBTQIA+ na busca por assistência à saúde e à justiça, de Juliana Correia Almeida, Josafá Bonifácio da Silva Neto e Alysson Lima Araújo, da Rádio UFS FM

Fotojornalismo

1º lugar: Sem-teto – a vida de quem não tem um lugar digno para morar em meio à pandemia, de Pedro Gabriel Barreto Ramos, do F5 News

Trabalho Acadêmico

1º Lugar: Fake News – a ameaça à democracia e a interferência no processo eleitoral brasileiro, de Edicarlos Araújo Queiroz, da Universidade Tiradentes

2º Lugar: Dois minutos, de Jamile Vasco da Silva Pereira, Isabella de Almeida C. Kodel, Karoline Vieira Faria, Andreeyvyd Almeida Teles, da Universidade Tiradentes

Últimas notícias:
Compartilhe:

Leia Também

Comitê Técnico-Científico prorroga medidas e restringe quantidade de pessoas em eventos

O Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (Ctcae) prorrogou nesta quinta-feira(13), as medidas de restrição …

Deixe um comentário