segunda-feira, 03/08/2020
Ilustração Freepik

Nível de transparência de Sergipe nos contratos emergenciais da covid-19 melhora, mas ainda é fraco

Compartilhe:

Levantamento divulgado hoje, 29, pela  ONG Transparência Internacional Brasil, mostra que Sergipe, em relação à primeira avaliação ocorrida um mês atrás e agora soma 65,8 pontos na transparência sobre contratações emergenciais no enfrentamento a covid-19.  Apesar da melhoria, o Estado não mudou a  posição no ranking (22º lugar).

Já Aracaju ganhou 14 pontos e atingiu a nota 64,5. A avaliação do nível de transparência da cidade passou assim de “regular” para “boa”. Contudo, com a melhoria ainda mais expressiva de outras capitais, a cidade recuou algumas posições no ranking: do 8º para o 17º lugar. A escala do ranking vai de zero a 100 pontos, na qual zero (péssimo) significa que o ente é avaliado como totalmente opaco e 100 (ótimo) indica que oferece alto grau de transparência.

Doze estados e 15 capitais deixaram para trás uma avaliação de “regular” a “péssima” e passaram para as categorias “bom” e “ótimo”. Espírito Santo, entre os estados, e João Pessoa, entre as capitais, consolidaram sua liderança no comparativo, melhoraram

ainda mais e atingiram pontuação máxima: 100 pontos. Hoje, entre as administrações públicas avaliadas, não há mais nenhuma cujo nível de transparência é classificado como péssimo. Não existe também mais nenhum estado avaliado como “ruim”. Quanto às capitais, nove delas tinham transparência classificada como “ruim” no ranking anterior e hoje isso ocorre com apenas uma – Porto Velho.

A Transparência Internacional é um movimento global com um mesmo propósito: construir um mundo em que governos, empresas e o cotidiano das pessoas estejam livres da corrupção. Atuamos no Brasil no apoio e mobilização de grupos locais de combate à corrupção, produção de conhecimento, conscientização e comprometimento de empresas e governos com as melhores práticas globais de transparência e integridade, entre outras atividades. A presença global da TI nos permite defender iniciativas e legislações contra a corrupção e que governos e empresas efetivamente se submetam a elas. Nossa rede também significa colaboração e inovação, o que nos dá condições privilegiadas para desenvolver e testar novas soluções anticorrupção.

Compartilhe:

Leia Também

Acese faz campanha “Retoma Itabaiana” para estimular as vendas no comércio local

A Associação Comercial e Empresarial de Itabaiana (Acese)  lançou hoje a campanha Retoma Itabaiana, com …

Deixe uma resposta