quarta-feira, 12/05/2021
Edgar do Acordeon: 55 anos de uma carreira de sucesso

Covid-19 cala a voz de Edgar do Acordeon, um dos maiores forrozeiros de Sergipe

O cantor  e compositor sergipano, Edgar do Acordeon, 73,  morreu hoje, 30, vítima da covid-19. Ele estava internado, desde a semana passada, na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Cirurgia em estado grave. Através das redes sociais, a filha do cantor, Rejanne Costa, informava a situação de saúde do pai que a princípio foi internado na Urgência do Ipes, em 17 de junho, com síndrome gripal. Edgar do Acordeon tinha 55 anos anos de carreira e era uma das maiores referências do forró pé de serra no Estado.

Hoje a Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Defesa do Consumidor (Sejuc) divulgou nota lamentando a morte de Edgar, que era do quadro de motoristas da pasta desde 1985. O secretário Cristiano Barreto ratificou a importância que o servidor público tinha para os quadros da administração estadual e reforçou que, além da função exercida no dia a dia, a morte de Edgar é um duro golpe na cultura popular sergipana.

“Em uma vida consolidada pela dedicação à família e à sociedade, deixa um legado de mais de 60 composições próprias e uma história que ainda continuará influenciando uma geração da cultura popular de Sergipe e todos os colegas e amigos que, neste momento, reverenciam sua memória”, diz a nota da Sejuc.

Edgar era natural de Malhada dos Bois. Este ano, ele completou 55 anos de uma carreira exitosa e reconhecida, inclusive, fora de Sergipe. Era casado e pai de  cinco filhos.

Abaixo, um pouco do forró de Edgar do Acordeon animando os colegas da Sejuc

Leia Também

Inflação oficial fica em 0,31% em abril, diz IBGE

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do …