domingo, 29/03/2020
Bolsa de Valores de São Paulo

Circuit Break: “isso também passará”

Compartilhe:
David de Andrade Rocha (*)

Boa semana a todos que agora estão lendo este texto. Imagino que muitos que ouvem falar de investimentos ou até mesmo aqueles que começaram a investir recentemente, devem ter se assustado com a medida da B3 para barrar a queda do seu principal índice de ações – o Ibovespa – que vinha tendo uma derrocada absurda graças ao terror instalado no mercado global.

Já tivemos oportunidade de falar como o coronavírus (Covid 19) vinha afetando os investimentos em todo o mundo e como defender seu patrimônio dessa nova ameaça à saúde global, mas foi uma supresa em todos os mercados quando se deflagrou uma guerra de preços envolvendo o petróleo, inicialmente, entre a Rússia e a Arábia Saudita.

Como os árabes produzem bastante petróleo, uma oferta maior que a esperada por parte deles pode fazer o preço do petróleo, tipo Brend, despencar absurdos, em poucos minutos. E isso afeta a economia global que por hora é completamente dependente dessa commodity.

Some a isso os temores do crescimento do coronavírus, que apesar de dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmarem que mata menos que uma gripe comum, vêm causando um alvoroço em todos os lugares. Com esse cenário posto não é difícil entender o pânico que ocasionou no Circuit Break.

O Circuit Break é uma ferramenta ativada pela Bolsa de Valores para proteger o patrimônio dos investidores do mercado de ações, pois, se o Ibovespa cair 10% em um único dia de negociação a bolsa paralisa as negociações por alguns minutos a fim de que as pessoas se acalmem e não destruam tanto patrimônio por vender na baixa.

Mas se você tem algo investido, o que fazer? Bom, o melhor é manter a calma e observar com o passar do tempo se esses temores eram infundados ou não. A experiência mostra que o primeiro dia de desespero é o pior. Quer um exemplo, vide o Joesley Day, no qual um áudio derrubou a bolsa ativando o circuit break quase que instantaneamente, e poucos dias depois a bolsa como um todo estava valendo muito mais do que na véspera desse dia.

Também é bom aprendermos com isso e passarmos a destinar parte de nosso patrimônio investido no mercado financeiro para fazer hedge. Algumas das melhores ferramentas de hedge que temos hoje são as Opções, o Ouro e o Mercado de Futuros.

Para terminar deixarei um conto que vi num livro, no passado:

“Em um reino próspero da Antiguidade, o rei propôs a seus sábios um desafio: criar uma frase que fosse um aforismo de sabedoria, não importasse o tempo, pois em qualquer era ela deveria ser clara e reconhecida como verdadeira e sábia. Aquele que conseguisse criar essa frase teria muito dinheiro, mas aqueles que tentassem e falhassem perderiam a vida. Muitos tentaram e falharam, até que um sábio entregou ao rei um quadro contendo a frase e o instruiu que o colocasse em cima do trono. O rei amou a frase e transformou o sábio em vizir e deu a ele inúmeros bens. Que frase era essa? Muito simples, no quadro estava escrito a seguinte frase: Isso também passará.”

Paremos para refletir nessa frase e entender o quão profundamente sábia ela é.

Segue abaixo o link para outro texto referente ao coronavírus que já postei aqui.

Proteja seus investimentos do coronavírus

Um abraço e bons investimentos.

(*) David Rocha escreve semanalmente, às terças-feiras. Ele é assessor de investimentos e educador financeiro, que vive o mercado diariamente, desde 2011, e autor do livro Tesouro Direto – Um Caminho para a liberdade financeira de 2016.

Compartilhe:

Leia Também

Brasil: o gasto federal com saúde pública

Emerson Sousa (*) Segundo dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), desde o início do …