quinta-feira, 13/05/2021
Ampliação deve elevar a atual produção da fábrica de 2,1 para 3,1 milhões de metros quadrados de revestimento cerâmico por mês

Cerâmica Serra Azul investirá cerca de R$ 60 milhões para ampliar produção em Sergipe; mais empregos para a população sergipana

Na manhã desta quarta-feira, 14, o governador Belivaldo Chagas, reuniu-se virtualmente com o CEO da Cerâmica Carmelo Fior, Eduardo Fior, para debater a ampliação da Cerâmica Serra Azul, instalada no município de Nossa Senhora do Socorro. O governador destacou que os planos da empresa é que a nova linha de produção entre em operação ainda neste ano. “É muito positivo para Sergipe mais esse investimento do grupo Carmelo Fior, são mais empregos para a nossa população, o que é fundamental, principalmente, neste momento difícil que enfrentamos”, disse Belivaldo. A reunião contou, também, com a presença do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Pereira de Carvalho e do superintendente executivo da pasta, Marcelo dos Santos Menezes.

A nova linha da Cerâmica Serra Azul, pertencente ao grupo Carmelo Fior, deve elevar a atual produção da fábrica de 2,1 para 3,1 milhões de metros quadrados de revestimento cerâmico por mês. A ampliação representa um investimento estimado em R$ 60 milhões e deve somar cerca de 100 empregos, diretos e indiretos, aos 240 já mantidos pela fábrica em Sergipe.

De acordo com o secretário José Augusto, a expansão da Serra Azul reforça o empenho do Estado ao alinhar políticas regulatórias e tributárias para estimular o desenvolvimento industrial em Sergipe. “A recente aprovação da nova Lei do Gás, na Câmara Federal, também contribuiu nesse processo, assim como o esforço do governo do Estado para reduzir o ICMS do gás natural para uso industrial, além das demais adequações regulatórias e tributárias que estão sendo implementadas pela gestão estadual”, afirmou o gestor da Sedetec.

Com o novo investimento, a empresa também prevê um aumento de 50% em relação à geração de impostos estaduais, a exemplo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal (FEEF). Outra estimativa diz respeito ao consumo de energia elétrica e gás natural, que deve subir em 50%. Hoje, este consumo é da ordem de 2,50 MW por mês em energia e 1,78 milhões de metros cúbicos de gás mensais.

Após a ampliação, a unidade sergipana deve se transformar na maior fábrica da empresa, detentora de outras três plantas industriais em São Paulo e Santa Catarina. Atualmente, o grupo Carmelo Fior está entre os seis maiores produtores de cerâmica do mundo. “Queremos continuar crescendo no estado, contribuindo com o crescimento do município e região e, principalmente, abastecer nossos clientes com maior agilidade e qualidade. Entre as nossas principais expectativas está o aumento das exportações, levando o nome de Sergipe aos mais diversos países”, informou Eduardo Fior.

Leia Também

Sete em cada dez empreendedores fizeram vendas online na pandemia

Sete em cada dez micro, pequenas ou médias empresas (73,4%) do país estão fazendo vendas online durante …