sexta-feira, 19/04/2024

Literatura&Afins

Então você quer ser escritor?

Miguel Sanches

Por Germano Xavier (*)   Para quem gosta de contos, o livro ENTÃO VOCÊ QUER SER ESCRITOR?”, do paranaense Miguel Sanches Neto, é um prato a ser devorado com uma fome necessária. Dezesseis narrativas perfazem o miolo. Personagens aparentemente simples, mas que portam angústias e conflitos nada medíocres, todos desenrolados com maestria. A verdade é que nada no livro impressiona …

Leia Mais »

Os abismos de Trevisan

Por Germano Xavier (*)   Para começo de conversa, que capa belíssima a da segunda edição deste livro, datada de 1979! O título: ABISMO DE ROSAS. Que título, Dalton Trevisan! Só podia ser mesmo um livro escrito por vossa senhoria, mestre da amplificação semântica das palavras mínimas. Os minimamente iniciados nesta lida chamada de literatura já podem desconfiar: ABISMO DE …

Leia Mais »

Descobrindo Bartleby em mim

Por Germano Xavier (*)   Era o meu último ano em Salvador-BA quando li o livro “Bartleby, o escriturário” (Uma história de Wall Street) pela primeira vez. O ano era o de número 2004 e eu contava 19 anos de idade. De Herman Melville (o Homero do Oceano Pacífico, no dizer de Albert Camus), escritor estadunidense tido como um dos …

Leia Mais »

Relato de um náufrago

Literatura

Por Germano Xavier (*)   Comece a imaginar-se como sendo você um membro da armada marinha colombiana, prestes a embarcar de volta ao seu país, depois de passar os últimos oito meses na região de Mobile, Estados Unidos, esperando que o conserto do destroier de guerra em que você e todos os seus companheiros estavam fosse realizado. Ansioso pelo retorno, …

Leia Mais »

Sobre “Todas as coisas sem nome”, de Walther Moreira Santos

Whalter Moreira Santos

Por Germano Viana Xavier (*)   Todas as coisas sem nome (2014) é o terceiro livro escrito por Whalter Moreira Santos que leio nesta vida. Antes dele, tive o prazer de ler Dentro da chuva amarela (2006) e O  metal de que somos feitos (2013) – se procurar bem, você encontrará minhas impressões sobre esses dois últimos aqui na internet …

Leia Mais »

De que metal somos feitos?

Escritor

Por Germano Viana Xavier (*)   Dia desses, fiz uma visita a um professor do curso de Psicologia da UFRPE/Campus Vitória de Santo Antão e quando, num rápido desenlace acerca do assunto principal de nossa conversa, começamos a flertar com o tema literatura, o professor me perguntou algo sobre o escritor Walther Moreira Santos, sujeito da referida localidade e que …

Leia Mais »

Os versos grávidos de Maíra Ferreira

Por Germano Xavier(*)   “os velhos que um dia seremos estão pedindo perdão” Excerto do poema face a face, de Maíra Ferreira   Maíra Ferreira é o nome da poetisa que estreia sua inaugural fatalidade no mundo das palavras impressas. A PRIMEIRA MORTE é o nome do livro da poetisa e é também o nome do poema que abre seu livro …

Leia Mais »

O monstro-criança de Mário Rodrigues

Por Germano Viana Xavier (*)   O livro “Receita para se fazer um monstro” foi o vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2016 na categoria Contos. O compêndio do escritor e professor garanhuense Mário Rodrigues decerto que mais lembra – ou se confunde com – um romance aos moldes de um folhetim, já que os textos estão dispostos como cápsulas …

Leia Mais »

A voz de Anna Akmátova (ou As emoções da razão)

Sim, os russos também sofrem. Os russos também confessam suas dores, seus amargores, seus dissabores. Os russos, apesar da sisudez e do aspecto aparentemente indiferente às coisas do coração e da alma, também comem do pão que o diabo amassa, diariamente, nos quatro cantos da Terra. Os russos, por fim, também sentem felicidade. E a literatura, mais uma vez funcionando …

Leia Mais »

Os bichos somos todos nós

“(…) Doze vozes gritavam, cheias de ódio, e eram todos iguais. Não havia dúvida, agora, quanto ao que sucedera à fisionomia dos porcos. As criaturas de fora olhavam de um porco para um homem, de um homem para um porco e de um porco para um homem outra vez; mas já se tornara impossível distinguir, quem era homem, quem era …

Leia Mais »