segunda-feira, 28/09/2020
Márcio Rocha: experiência muito gratificante

Atleta sergipano participa da corrida El Cruce, maior desafio da Cordilheira dos Andes

O atleta sergipano Márcio  Rocha participou, neste final de semana, na Argentina, da corrida  de montanha El Cruce, cujo objetivo é percorrer uma distância de mais de 100 quilômetros, durante três dias, atravessando a Cordilheira dos Andes. Este ano, na 19ª edição da prova, Márcio Rocha chegou em 35º lugar na sua categoria (de 40 a 49 anos), disputando com cerca de 200 atletas, e na classificação geral ficou em 104º lugar.

“Estou muito feliz. Faço meus treinos da Serra de Itabaiana, em Sergipe, onde a altimetria é de 638 metros, e venho para um desafio de subir mais de 1 mil metro de uma só vez, é  uma experiência muito gratificante. Não vim para Argentina somente a passeio, mas mostrar a nossa força no trail run. Em Sergipe, treino no grupo Trial Run Sergipe, que é muito forte, com campeões. Isso tudo é motivo para ficarmos felizes”, disse Márcio Rocha, que é médico ortopedista e faixa preta de karatê.

 

Nesta edição, segundo Márcio, a base foi a cidade de San Martin de Los Andes e a corrida ocorreu pelos arredores do vulcão Lanin,  com uma média de 3.700 metros de altitude. “Cada dia fazia um percurso diferente: no primeiro, quinta-feira, passamos pelo vulcão e subimos 2.200 metros, mais da metade. Paramos no primeiro acampamento, onde há um lago  com água muito gelada. Ficamos ali, onde os competidores interagem.  Na  sexta-feira, 6, corremos mais 30 quilômetros e mais de 1.500 metros de altitude. No terceiro  dia, 7, seguimos com destino à cidade de  San Martin de Los Andes. Foram mais 34 quilômetros e 1500 metros de altitude”, contou.

Beleza e história

Os lugares onde o evento acontece são de uma beleza incomparável. Os corredores atravessam montanhas e vulcões, picos nevados, florestas, lagos, vales e áreas rochosas.

Apesar de serem realizadas durante o verão, as variações climáticas são enormes. Algumas edições foram acompanhadas por espetaculares dias ensolarados, com temperatura que pode chegar a 20º. C. Outros, no entanto, enfrentam corredores com condições climáticas verdadeiramente adversas que podem incluir frio, neve, ventos fortes e chuvas fortes.

Por tudo isso, o requisito físico para os corredores é enorme e requer intenso treinamento prévio. É uma corrida para quem gosta de aventura e está disposto a enfrentar três dias correndo e morando no meio das montanhas, suportando todas as dificuldades envolvidas.

Esta corrida  nasceu em 2002 com o objetivo de unir a Argentina e o Chile cruzando a Cordilheira dos Andes por 3 dias. Foi a primeira competição de aventura que reuniu mais de 300 participantes para chegar a outro país, atravessando montanhas e compartilhando os maiores acampamentos que já hospedaram. Uma aventura carregada de experiência e competição, onde o trabalho em equipe de dois aventureiros foi medido. Imediatamente esse desafio se tornou a maior aventura do ano, na corrida que todo corredor de aventura sonha em enfrentar.

Leia Também

Diretoria do Club Sportivo Sergipe e Emurb discutem processo de desativação do Hospital de Campanha

Nesta segunda-feira, 28, está prevista uma reunião entre a diretoria do Club Sportivo Sergipe e …