quinta-feira, 14/01/2021
Trabalho formal em alta Foto: Marcello Casal Jr\ Agência Brasil

Sergipe registra terceira alta consecutiva no mercado de trabalho formal

Os números de evolução do mercado de trabalho foram divulgados pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (26), após a apresentação do sumário executivo do Caged (Cadastro Geral e Emprego e Desempregados). Sergipe, pelo terceiro mês seguido apresenta alta no mercado de trabalho, com a geração de 3.523 novos postos de trabalho. O número significa que o mês de outubro apresentou uma variação positiva de 1,29%, segundo o estudo realizado pela assessoria executiva do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Sergipe.

O crescimento no nível de emprego no estado foi puxado pela indústria que apresentou elevação de 1.574 contratações. Em segundo lugar, o setor de serviços, que apresentou uma boa recuperação, com 794 empregos gerados. O comércio ficou próximo, com 759 postos de trabalho criados no mês de outubro. Já a agricultura contratou 202 pessoas e a construção civil aumentou sua força de trabalho em 194 novos colaboradores nas empresas. Com esse resultado, Sergipe foi o quinto melhor estado em geração de empregos no Brasil. O presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Laércio Oliveira, comentou os resultados, que confirmaram sua expectativa de recuperação dos empregos para os trabalhadores sergipanos.

“Conforme nossos estudos realizados pela Fecomércio, avaliando a confiança do empresário na economia e a confiabilidade no mercado, se confirma mais uma vez a elevação no número de empregos das pessoas. Depois do período da pandemia, em que sofremos com um grande número de pessoas perdendo seus empregos, já conseguimos recuperar metade deles. Em três meses, os resultados têm sido positivos e a confiança dos empresários tem se confirmado. Com a volta dos consumidores às lojas, o comércio se movimentou, os serviços têm ampliado sua atuação e isso reverte também no aumento de contratações nos outros setores da economia. Estou muito feliz por ver os trabalhadores sergipanos reconquistando seus empregos”, afirmou Laércio Oliveira.

Mesmo com a recuperação de postos ser de quase a metade do que foi perdido ao longo do ano, Sergipe ainda se encontra com um saldo negativo nos dez primeiros meses do ano. A retração é de -2,75% no estoque de trabalhadores, com -7.825 postos de trabalho fechados. Entretanto, o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac acredita que de modo gradativo, os empregos serão recuperados, podendo apresentar resultados melhores até dezembro. Laércio lembrou que os números poderiam ser piores se não houvesse medidas como o Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda (BEM), que ajudou a salvar 174.539 empregos no estado, com os acordos firmados.

“Ainda temos um longo caminho a ser percorrido, sendo muito difícil que consigamos equilibrar a balança de emprego no estado. De todo modo estamos numa forte crescente na recuperação dos postos de trabalho, o que mostra uma retomada da economia, vide as vendas crescentes do comércio nos últimos meses, que já são melhores que no ano passado. E temos que ressaltar a importância do BEM, que ajudou a preservar os empregos de quase 175 mil sergipanos. Se essa medida não existisse, o problema seria muito maior, diante de uma crise sem precedentes em nossa história”, disse Laércio Oliveira.

De acordo com os dados do Caged, Sergipe tem atualmente 277.100 pessoas trabalhando com carteira assinada em todas as atividades econômicas. Os municípios que mais geraram empregos em outubro foram Aracaju (1.443), Nossa Senhora das Dores (748), Laranjeiras (382), Nossa Senhora do Socorro (185) e Capela (172).

Leia Também

Celse não foi vendida e não haverá mudança no projeto da Termelétrica Porto de Sergipe I

A Centrais Elétricas de Sergipe (Celse) divulgou uma nota esclarecendo que “a companhia não foi …