segunda-feira, 14/10/2019
Início » Editorias » Cidades » Juíza liberta sargento presa por fazer xixi
Rádio FecomercioPowered by Rock Convert
Internautas criaram post de apoio a sargento

Juíza liberta sargento presa por fazer xixi

Compartilhe:
JOB Connect - Coworking e Escritório VirtualPowered by Rock Convert
apoio a svetlana
Colegas foram dar apoio à sargento detida por fazer xixi fora do posto

A sargento da Polícia Militar, Svetlana Barbosa, foi libertada agora a tarde (19)  para responder o processo em liberdade. O habeas corpus foi concedido pela juiza Bruna Aparecida de Carvalho. Ela foi presa no último sábado e estava no Presídio Militar, acusada de abandono de posto. Detalhe: ela saiu do local para  fazer xixi, pois não havia banheiro apropriado e, por isso, se dirigiu até a sede da associação que preside, localizada na rua Santo Amaro, no centro da cidade. Mesmo assim, o oficial que a prendeu, entendeu que ela abandonou o posto.

Desde o momento da prisão, que a sargento vem recebendo apoio, através das redes sociais, de diversos internautas que protestam contra a sua prisão em flagrante, ocorrida no sábado, às 11 horas, por ter ido fazer xixi no banheiro da Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública (Asimusep), da qual é presidente. Uma das postagens no Facebook diz “somos todos Svetlana”, seguido de diversos comentários.  A sargento estava no Presídio Militar desde ontem à noite.

Segundo o advogado que a defende,  Gerson Carvalho, como a sede da Asimusep fica na rua Santo Amaro (área onde a militar trabalha como supervisora do policiamento do centro), ela foi até lá para fazer xixi. “A sede fica no centro e é fechada aos sábados. A sargento fez isso porque não havia um banheiro adequado na Rua 24 horas. Ela usava sempre o banheiro do Ceac (Centro de Atendimento ao Cidadão), que estava trancado no momento”, contou.

O advogado acrescentou, ainda, que o oficial telefonou para Svetlana e foi ela quem contou-lhe onde estava e o porquê.  O oficial teria dito que ela teria que usar o banheiro perto do ponto base, “mas ele esqueceu que estava fechado”, disse Gerson. Questionado sobre a postura do oficial, o advogado disse que a conduta é subjetiva, pois ele já havia se manifestado dizendo que houve o crime de abandono de posto.

Direitos Humanos – Nas redes sociais, as manifestações de apoio a Svetlana são postadas a todo instante.  Uma das amigas da sargento, Regina Moura, disse o seguinte: “Absurdo!!!!!!!!!!! Uma verdadeira vergonha. Enquanto esse tenente prende sem razão uma pessoa da lei, bandidos rondam a nossa casa, roubam, estupram, matam e estão soltos. Isso é um verdadeiro abuso de poder!!!!!!!! Que mundo nós estamos?????? Svetlana Barbosa, sei da sua honestidade e integridade. Estarei torcendo para que você dê a volta por cima. Beijos”.

Em outra postagem, o internauta Fabiano Ferreira diz o seguinte: “somos todos! Força! Nós que já trabalhamos com você e acompanhamos a sua luta sabemos da grande guerreira que você é, Svetlana Barbosa.

Além do apoio nas redes sociais, o caso de Svetlana está sendo acompanhado pela Comissão de Mulheres da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pela conselheira Adélia Pessoa. O advogado desconhece se a comissão de Direitos Humanos do Governo do Estado fez alguma manifestação favorável à militar.

Com um comportamento considerado excepcional dentro da corporação, Svetlana, se condenada por fazer xixi fora do posto, poderá ter a ficha funcional manchada e isso vai prejudicá-la ao longo da carreira. Segundo o Código Penal Militar, abandono de posto é crime, cuja detenção varia de três meses a um ano.

Texto atualizado às 16 horas.

Compartilhe:

Leia Também

Plano de Contingência Nacional está engavetado, diz oceanógrafo

Powered by Rock Convert “Apenas o setor privado tem capacidade de atuar, quando o assunto …

WhatsApp chat