quarta-feira, 28/10/2020
Hospital de Campanha sob investigação Foto: André Moreira

Prefeitura de Aracaju garante rigoroso acompanhamento nutricional aos pacientes do HCamp

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), vem promovendo uma série de ações voltadas à prevenção de riscos à saúde dos pacientes internados no Hospital de Campanha (HCamp) Cleovansóstenes Pereira Aguiar, montado no estádio João Hora. Uma delas é o acompanhamento nutricional, com cardápios diferenciados, resultado um investimento feito pela gestão municipal via contrato emergencial de três meses, com valor total de R$ 950.283,30. Desde o início do funcionamento da unidade, em meados de maio, já foram servidas mais de duas mil refeições, sendo que cada paciente recebe o conjunto de alimentos seis vezes por dia.

Atendimento no HCamp

No HCamp, a equipe de nutrição é formada por duas nutricionistas contratadas e uma da empresa terceirizada que presta o serviço, e o cuidado nutricional nesse ambiente hospitalar pressupõe forte cooperação das várias categorias profissionais, como médicos e enfermeiros. Nesse sentido, os serviços orientam-se, principalmente, para a oferta de refeições equilibradas e seguras do ponto de vista da qualidade higiênico-sanitária, como explica a nutricionista do HCamp, Samara da Silva.

“Avaliamos os pacientes, por meio da anamnese nutricional, que é um questionário onde são coletadas informações do paciente com foco na alimentação, doenças pessoais e antecedentes familiares. Depois fazemos um mapa de dieta e passamos, via e-mail, para a empresa. Além disso, temos que olhar todas as prescrições médicas das dietas, para poder conferir se está liberada via oral, para conferir se é hipertenso ou diabético, por exemplo, e a consistência dada por nós, como pastosa, branda, semilíquida, e também somos nós que prescrevemos a dieta enteral”, sintetiza a Samara da Silva.

Diferencial

Ainda de acordo com a nutricionista, o diferencial desse serviço é o atendimento individual. “No momento temos 47 pacientes e damos preferência à Ala Vermelha, onde há pacientes críticos; em seguida as Alas Amarela, Rosa e Azul. É um trabalho cuidadoso, perguntamos quem tem alergia, se tem intolerância, se consegue mastigar, preferência alimentar, entre outros”, diz.

A linha de raciocínio da nutricionista Samara também é seguida pela coordenadora do HCamp, Carolina Lopes, a qual classifica o acompanhamento nutricional na unidade hospitalar provisória como “humanizado e exemplar”.

“Todo tipo de alimentação que os pacientes podem comer são passadas para a empresa, conforme a necessidade individual. Seis vezes por dia é fornecido o alimento”, afirma a coordenadora, ao enaltecer a importância do serviço.

“O serviço tem relevância extrema, porque é preciso que o paciente tenha uma alimentação de qualidade. Além disso, a alimentação traz um prazer ao indivíduo, e isso já é produtivo ao paciente que está longe de sua casa e de sua família”, complementa.

Opinião semelhante tem Gabriela Gonçalves, nutricionista e responsável técnica da prestadora do serviço. “A nossa logística é alinhada com as nutricionistas da Prefeitura que atuam no HCamp. A quantidade de pacientes e de refeições é atualizada sempre e, a partir daí, repassamos, de forma detalhada, para as nossas equipes, inclusive, com os tipos de dietas de cada paciente”, detalha.

“A nossa prestação de serviço com o HCamp é de aprendizado, porque sempre fornecemos alimentação para empresas grandes, e agora estamos com essa linha nova, que é a hospitalar”, conclui.

O HCamp

Em funcionamento desde 16 de maio, o HCamp já atendeu a 184 pacientes, dos quais 110 foram recuperados e receberam alta. A unidade hospitalar dispõe, atualmente, de 342 profissionais, entre eles, 25 fisioterapeutas; seis psicólogos, cinco assistentes sociais, dois nutricionistas, 20 farmacêuticos, 37 técnicos de Apoio de Rede, 60 enfermeiros, 114 técnicos em Enfermagem, 68 médicos, dois técnicos em Radiologia e três técnicos de Laboratório, que asseguram um tratamento completo.

Com estrutura para 152 leitos, dos quais 60 já estão em funcionamento, o HCamp tem uma estimativa de investimento mensal de R$1.813.407,05, somente com Recursos Humanos. Mas também já recebeu milhões em investimentos em materiais e medicamentos para garantir seu funcionamento

 

Leia Também

Contra o coronavírus, Prefeitura já realizou mais de 270 ações de desinfecção

Para diminuir a possibilidade de proliferação do novo coronavírus na capital sergipana, a Prefeitura de …