quinta-feira, 14/01/2021
Imagem: Pixabay

Planejamento para os gastos de fim de ano

David de Andrade Rocha (*)

Finalmente chegamos em dezembro de 2020. Um ano bem atípico que promete também um fim de ano nada convencional, já que em muitos estados pode ocorrer de não acontecer as tradicionais festas de fim de ano.

Mas nem por ser o fim de um ano atípico, este dezembro será muito diferente.  As obrigações sociais que demandam dinheiro continuam aí, talvez de forma diferente, mas estão aí. As confraternizações e as festas em família, regadas a amigos secretos e troca de presentes, ou mesmo uma viagem para desopilar um pouco, são coisas que vemos muito a nossa volta, porém não podemos perder de vista nesse período nosso controle financeiro.

É bem comum que aproveitemos o fim de ano para nos dar alguns mimos e presentes para os amigos e parentes, mas devemos fazer isso com consciência, pois janeiro de 2021 está chegando e junto a ele uma nova leva de impostos, gastos com colégios e outros tantos. E se somarmos a isso os gastos de dezembro, podemos nos ver em maus lençóis.

Claro que não devemos nos privar do que gostamos. Defendo aqui um planejamento para esses gastos,  com o intuito de que eles não sejam uma mácula que vá manchar a alegria desses momentos. Para isso podemos dar algumas dicas para os gastos de fim de ano:

Crie um Orçamento para os gastos

Mesmo que você esteja ganhando alguma coisa extra, como 13° salário ou bonificações, não gaste tudo. Não sabemos o que janeiro nos reserva; logo crie um limite de gastos que você terá com presentes e festas e seja fiel ao seu limite. A sua tranquilidade financeira será compensadora.

Evite o uso do crédito

Veja se você já está ganhando um acréscimo pensado necessariamente nesses gastos. Por que você gastaria mais ainda no crédito? Em meses de bonificação salarial tendemos a nos esquecer da nossa renda real e se gastarmos muito além dela, podemos ter grandes problemas num futuro próximo.

Não faça dívidas longas

Não entre no próximo ano já com dívidas vindas desse fim de ano, pois a alegria que gerou essa dívida já terá sumido, mas o débito continua. Evite entrar 2021 com muitas parcelas caras que podem ser destrutivas para seu orçamento no ano seguinte.

Poderíamos somar a essas dicas muitas outras, mas a base delas seria a mesma. Aproveite o fim de ano sem comprometer o início do próximo e você terá suas energias renovadas para ver o que 2021 reserva para nós.  E torçamos que sejam coisas muito boas.

Abraços.

(*) David Rocha escreve semanalmente, às terças-feiras. Ele é assessor de investimentos e educador financeiro, que vive o mercado diariamente, desde 2011, e autor do livro Tesouro Direto – Um Caminho para a liberdade financeira de 2016.

** Esse texto é de responsabilidade exclusiva do autor.  Não reflete, necessariamente, a opinião do Só Sergipe.

Leia Também

O Boom das Commodities não explica o crescimento da economia brasileira (II)

Na segunda edição do ano da Economia Herética foi abordado o fato de que aquilo …