quinta-feira, 04/03/2021
“O conhecimento sempre rende os melhores dividendos” Imagem: Pixabay

O ciclo do poupador

David Rocha (*)

Doze meses se passaram desde que você começou a poupar dinheiro, na sua conta bancaria tem agora R$ 10.000,00. Feliz ao olhar esse valor, você  pensa: finalmente vou poder comprar aquele item que eu tanto queria. Um observador poderia dizer: “Mas você vai ficar descapitalizado?”  E para você não tem problema, já que sempre pode recomeçar do zero…

Esse é um exemplo de ciclo do poupador. A pessoa guarda dinheiro da melhor forma possível só para depois trocar por algo e recomeçar, nunca chegando a nada muito diferente disso.

Não digo que seja errado buscar seus sonhos de consumo. Claro que sem eles não chegaríamos nem sequer a começar a poupar, mas  conquistar sonhos de consumo tem que vir majoritariamente do rendimento de seu dinheiro e não dele completamente.

Quando uma pessoa poupa e gasta tudo que guardou, ela perde um poderoso aliado que é os juros compostos. O poupador está melhor, claro, que o endividado e por planejar seu consumo ele consegue com tranquilidade adquirir bens. Mas esse ainda não é o melhor dos cenários.

A evolução lógica do poupador é o investidor. E o que está faltando para você se tornar um investidor?

Vamos pensar na diferença de um poupador para um investidor. O primeiro consegue reservar parte da sua renda e deixa em alguma conta corrente de um banco (que às vezes rende) ou na caderneta de poupança (que na verdade perde dinheiro mensalmente), e quando consegue juntar um valor esperado, gasta, para depois recomeçar o ciclo.

Já o investidor, põe esse dinheiro para trabalhar para ele e render de maneira consistente. Sendo assim, o retorno desses investimentos o ajuda  a comprar esses itens que deseja (e não ficar sem dinheiro nenhum), ou ele até consegue comprar só com o rendimento (sendo esse o melhor cenário).

Certo! Mas precisa de muito dinheiro para isso?

Na verdade não, o mesmo dinheiro que você poupa pode ser alocado em investimentos que rendam melhor que uma conta corrente com rendimento embutido e sem arriscá-lo de maneira inconsequente.

A diferença está no conhecimento.  Há muitas décadas imaginou-se que investimento e conhecimento sobre o assunto era só para quem é rico. Mas deixe eu te fazer uma pergunta:

Como você conseguirá ter dinheiro, se não sabe como administrá-lo e investi-lo?

Se você não aprender a administrar e investir o dinheiro, na melhor das hipóteses será um poupador, quando possível.

Não se prenda a essas ideias falidas que te aprisionam em um ciclo sem saída, como a roda de um ramister.

Busque o conhecimento de qualidade para suas finanças e investimentos, sejam eles gratuitos no início ou pagos quando você puder investir no seu conhecimento para maximizar seus lucros de maneira mais rápida.

Lembre como dizia Benjamin Franklin: “O conhecimento sempre rende os melhores dividendos”.

Existem diversas formas de aprender, seja pela tentativa e erro, ou seja através de um curso que te leve ao conhecimento mais direto, poupando tempo e recursos.

Entre as opções gratuitas de qualidade que temos no mercado, temos os Cursos da FGV (Fundação Getúlio Vargas) que são muito bons para introduzir quem nunca viu nada desse tema a esse mundo, de maneira simples e divertida.

Aqui no Só Sergipe já dei diversas dicas de como você pode conhecer mais sobre finanças e investimentos. Recomendo olhar com calma os textos da coluna de Educação Financeira para ir conhecendo mais e de maneira simples sobre assuntos do seu dia a dia, como inflação, Taxa Selic, PIB, produtos financeiros e muitos outros.

Também recomendo se inscrever no Canal da Majesty Escola de Finanças no Youtube e assistir principalmente aos vídeos do minicurso Uma Introdução aos Investimentos.

Esses conteúdos gratuitos, poderão te ajudar a passar de poupador para investidor de maneira rápida e consciente. Mesmo que hoje você ainda esteja com dívidas, esses conteúdos poderão te ajudar a dar um primeiro passo na sua jornada de Liberdade Financeira.

Lembre-se: busque o conhecimento e ele o libertará. Essa frase valia quando foi dita e vale ainda mais hoje em dia, que o conhecimento é a verdadeira riqueza do ser humano.

Saia do ciclo de ganhar – poupar – gastar e crie para você uma vida de liberdade e abundância. As dicas para dar o primeiro passo já foram dadas neste texto. Cabe a você aplicá-las a sua vida financeira.

Abraços e bons investimentos.

(*) David Rocha escreve semanalmente, às terças-feiras. Ele é assessor de investimentos e educador financeiro, que vive o mercado diariamente, desde 2011, e autor do livro Tesouro Direto – Um Caminho para a liberdade financeira de 2016.

** Esse texto é de responsabilidade exclusiva do autor.  Não reflete, necessariamente, a opinião do Só Sergipe

Leia Também

A vida ensina de maneiras desconhecidas

O mundo apresenta-nos um espaço de mudanças aceleradas. A agenda europeia, para 2030, ameaça fazer …