sábado, 20/02/2021
Laércio Oliveira debatendo o fechamento das agências do BB

Laércio Oliveira discute com prefeitos o fechamento das agências do BB

O deputado federal Laércio Oliveira foi procurado por um grupo de prefeitos que estão preocupados com o fechamento de agências do Banco do Brasil nos seus municípios. O parlamentar realizou uma reunião online entre os prefeitos e diretores do banco. “Esses prefeitos me trouxeram a preocupação social do fechamento de agências nos seus municípios, a maioria deles apenas com uma agência”, informou Laércio.

É o caso de Nossa Senhora de Lourdes onde será fechada a única agência do município. “A população vai ter que viajar para municípios vizinhos para fazer qualquer transação bancária”, preocupou-se o prefeito Laerte Gomes.

O prefeito de Poço Redondo Júnior Chagas também ressaltou a questão social das agências nos municípios. Ele disse que compreende que a maioria dos clientes estão fazendo operações online, mas existem muitos serviços que tem que ser feitos presencialmente, especialmente por pessoas mais carentes que não tem acesso à tecnologia.

O gerente relações institucionais do Banco do Brasil Douglas Finardi Ferreira explicou que o banco aprovou um plano de reorganização para ganhos de eficiência operacional que prevê, entre outras medidas, a substituição de agências do banco por lojas Mais BB, além da criação de um Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e de um Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), que deverão acontecer no primeiro semestre.

De acordo com o plano de reestruturação do Banco do Brasil, as agências da cidade de Pacatuba, Monte Alegre, Porto da Folha, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo, Salgado, Tomar do Geru serão fechadas, além de duas agências em Aracaju, a unidade que fica no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e a agência de pessoa física do bairro Siqueira Campos, e uma agência em Itabaiana. Mas o banco informou que a preocupação social do banco permanece. Por isso no lugar das agências, serão abertas lojas Mais BB. “O plano de reorganização prevê ganhos de eficiência e otimização”, explicou.

Ele ainda destacou que o modelo atual estava inviável devido a dificuldade de levar funcionários concursados para as agências de muitos municípios. “Em algumas dessas agências havia apenas um funcionário que quando ele tinha que se ausentar ou ficava doente, a agência era fechada”, explicou.

Miguel de Dr. Marcos, prefeito de Porto da Folha, questionou qual o critério para fechar uma agência. “Porque outros municípios menores continuarão com agência e outros como o nosso vão ficar sem agência. Tem ainda um detalhe que a agência de Porto da Folha atende vários povoados do município que é o maior em extensão do estado e ainda de Gararu.

Douglas Ferreira explicou que a reorganização da rede de atendimento tem o objetivo de readequar o atendimento ao novo perfil e comportamento dos clientes, privilegiando a especialização do atendimento e a ampliação da oferta de soluções digitais.

Participaram ainda da reunião pelo Banco do Brasil Gustavo Berti Tavernaro – gerente executivo; Renan Eufrásio Dantas – gerente de soluções;  Diego Guerra Quadros, gerente diretoria de atendimento e canais; Stella Matos Batista Parola – gerente executiva relações institucionais e vereadores dos municípios.

 

 

 

Leia Também

Estudo aponta impactos da pandemia da Covid-19 na economia sergipana em 2020

Quais foram os impactos da pandemia da Covid-19 sobre a geração de empregos, arrecadação de …