quinta-feira, 13/05/2021
"A CPI apura os fatos, e os fatos vão indicar os responsáveis", diz Alessandro Vieira Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Senador Alessandro alerta para politização da CPI da Covid-19: “não deve ser assim”

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) disse hoje que se alguém quiser utilizar a  CPI da Covid-19 como instrumento político  “está fazendo um jogo equivocado. Não deve ser assim”. O parlamentar é um dos primeiros subscritores do requerimento pedindo a criação da CPI para investigar a conduta do Executivo no combate à pandemia. Um pedido de autoria do senador Eduardo Girão (Podemos\CE) amplia a apuração a ser realizada pelo Senado, para investigar fatos relacionados que envolvam Governo Federal, Estados e municípios. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, deve fazer a leitura da CPI nesta terça-feira (13).

“A CPI apura os fatos, e os fatos vão indicar os responsáveis. Se for o presidente, será o presidente, se for um governador, um ministro, que seja. Mas tem que ser uma investigação ampla, com seriedade e transparência, para que as pessoas possam respeitar o resultado”, alerta o senador Alessandro.

O novo requerimento de CPI pretende apurar as possíveis irregularidades em contratos, fraudes em licitações, superfaturamentos, desvio de recursos públicos, assinatura de contratos com empresas de fachada para prestação de serviços genéricos ou fictícios, entre outros ilícitos, se valendo para isso de recursos originados da União.

“A CPI vai apurar as omissões cometidas por administradores públicos federais, estaduais e municipais, no trato com a coisa pública, durante a vigência da calamidade originada pela pandemia da Covid. Um exemplo de situação que precisa ser apurada é o caso dos 300 respiradores chineses comprados pelo Consórcio Nordeste – grupo formado pelos nove Estados da região Nordeste do Brasil – e que não foram entregues, resultando em um prejuízo estimado em R$ 48,7 milhões ”, aponta o senador Alessandro.

Atualmente, o Brasil atingiu o absurdo número de mais de 13,5 milhões de casos registrados, com 353 mil mortos. “Estão morrendo cerca de 4 mil brasileiros, em média, por dia. É muita gente! São 25 a 30 sergipanos morrendo por dia! Temos que correr mais, fazer mais. A CPI da Covid-19 não é politização, é um direito constitucional e importante passo para nosso país vislumbrar a saída desta crise”, defende Alessandro Vieira.

Leia Também

Alessandro Vieira pede a quebra de sigilo de Fábio Wajngarten

O senador Alessandro Vieira (SE), líder do Cidadania, pediu, ontem,  à Comissão Parlamentar de Inquérito …