sábado, 17/04/2021
Criadores do aplicativo Tô em Sergipe Foto: Arthuro Paganini

Projetos apoiados pelo Programa Centelha facilitam cotidiano via aplicativos

Abrangendo áreas específicas como saúde, turismo, educação e serviços, o Programa Centelha vem apoiando projetos que visam auxiliar a população na vida cotidiana por meio da tecnologia, incluindo o uso de aplicativos. As ferramentas desenvolvidas com o suporte do projeto, que é conduzido pelo Governo de Sergipe, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação do Estado de Sergipe (Fapitec), oferecem soluções dinâmicas e acessíveis, reunindo funcionalidade e eficácia.

A conexão entre especialistas e usuários e a sistematização de informações é uma das premissas dos projetos desenvolvidos no âmbito do Programa Centelha. É o caso do aplicativo “Sua Saúde na Palma da Mão”, que auxilia pacientes a serem lembrados de fazer ou repetir exames médicos. “O usuário consegue centralizar, armazenar, pesquisar, visualizar, tratar e compartilhar os exames já realizados, e receberá um alerta sobre a necessidade de repetição ou realização de exames”, explica o coordenador da equipe que desenvolveu o projeto, Fellipe Tavares Barreto.

Também centrado na área de saúde, o projeto “Assessoria Veterinária por Mídia Digital” propõe que criadores de animais de todo o Brasil possam contar com atendimento veterinário especializado por meio de uma plataforma online. Lançado em setembro de 2020, o projeto presta assessoria através de especialistas ou juntas veterinárias, de qualquer lugar do Brasil ou do exterior, ao profissional mais próximo ou de confiança do tutor/criador. Com base nas indicações dos profissionais acionados pela plataforma, o veterinário local poderá prestar um atendimento mais preciso nos casos que demandarem maior experiência ou especialização.

As atividades turísticas também são foco de pesquisas e ações do Programa Centelha, sobretudo no momento pós-pandemia. Com o aplicativo “Tô em Sergipe”, o turista que visita o Estado poderá ter acesso a informações detalhadas, desde seu deslocamento, pontos turísticos, bares, restaurantes, hospedagem e eventos. O aplicativo deverá ser disponibilizado de forma gratuita, complementando as ações do trade turístico, órgãos estaduais e municipais. A coleta das informações para a criação do aplicativo acontece nos municípios de Canindé do São Francisco, Poço Redondo e Nossa Senhora da Glória, localizados no Alto Sertão Sergipano.

Para o presidente interino da Fapitec, Ronaldo Guimarães, a contribuição do Centelha para sociedade e o empreendedorismo é enorme. “O Centelha é uma ação que tem como foco central promover a inovação. Quando visualizamos projetos como estes aqui citados, percebemos o quanto ele tem sido positivo para estes empreendedores, e principalmente, para o cenário da inovação em nosso Estado”, completa.

Versatilidade

Outro eixo de trabalho desenvolvido no Centelha é o setor de serviços, com a proposta de vincular empreendedores e clientes e de qualificar os produtos presentes no mercado. Exemplo é o “Beelog”, plataforma de entregas que promete conectar pessoas e empresas através de uma rede de entregadores autônomos treinados. O sistema deve operar com entregas expressas ou agendadas, dispondo de uma versão mobile para acesso de clientes e entregadores e contemplando empresas de pequeno a grande porte, físicas ou virtuais. Além disso, será possível rastrear as entregas em tempo real e também solicitar entregas automatizadas.

Também no segmento de serviços, o projeto “Q-Avalia: mensuração de qualidade e desempenho jornalístico” objetiva permitir que a sociedade faça críticas a conteúdos jornalísticos e apresente direcionamentos às empresas de comunicação, bem como oferecer um canal para que os veículos de mídia se posicionem e retratem. Os comentários serão feitos através de um aplicativo, e a empresa responsável fará o tratamento e encaminhamento dessas informações às empresas de comunicação.

Outro projeto apoiado pelo Programa Centelha, desta vez centrado na área de educação e acessibilidade, é o “Interlibras”. O aplicativo propõe auxiliar pessoas com deficiência auditiva no acesso a diversas línguas de sinais, de diferentes países. A ferramenta deve possibilitar um intercâmbio linguístico-cultural para o usuário, que terá disponível uma série de palavras e situações com suas respectivas traduções para as línguas de sinais cadastradas. O usuário também poderá visualizar um avatar 3D que irá realizar as traduções e reproduzir os gestos em tempo real. A construção do aplicativo é focada em aspectos gráficos, para que a ferramenta se torne intuitiva e acessível àqueles que não compreendem a língua escrita.

Centelha

O Programa Centelha é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap). A Fundação CERTI é responsável pela operação.

Leia Também

“Não quero sofrer a primeira derrota fora das quatro linhas”, diz Washington Coração Valente sobre seu empreendimento

Da euforia nos gramados à angústia no balcão da churrascaria. É dessa maneira que o …