sexta-feira, 10/07/2020
Os investimentos em Sergipe foram significativos Foto: Freepik

Banco do Nordeste investe R$ 445,1 milhões na economia sergipana

Compartilhe:

O Banco do Nordeste investiu em Sergipe, no período de 16 de março a 29 de maio deste ano, R$ 445,1 milhões, correspondentes a 43,6 mil operações, beneficiando todos os setores da economia e empresas de todos os portes do Estado. Somente com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), foram aplicados recursos da ordem de R$ 372,5 milhões.

Em termos de valores com FNE, as operações não rurais lideram as aplicações em Sergipe, com total superior a R$ 247,5 milhões, para mais de 38,6 mil operações, enquanto os financiamentos rurais superam 4,9 mil operações, equivalentes a R$ 124,9 milhões.

Entre as ações trabalhadas pelo banco, com o objetivo de minimizar os impactos da pandemia da covid-19 na economia da região, está o lançamento da linha de crédito FNE Emergencial,  que dispõe  de recursos para capital de giro e investimento, com taxa fixa de 0,21% ao mês.

O empresário José Augusto da Silva, proprietário de uma loja de roupas em Nossa Senhora de Lourdes, recorreu ao capital de giro FNE Emergencial tanto para comprar novas mercadorias, quanto para conseguir manter os custos da empresa. “Como estamos quase sem vendas, tivemos a necessidade de buscar financiamento para pagar despesas que estão vencendo. E conseguimos repor o estoque, porque também investimos mais na venda online”, disse o empresário.

No âmbito do Crediamigo do Banco do Nordeste, maior programa de microcrédito urbano produtivo e orientado da América do Sul, Sergipe registrou no período mais de 37,1 mil operações, somando valores de R$ 72,6 milhões.

Na Região

Em toda área de atuação do Banco, que abrange os nove estados do Nordeste, norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, o BNB realizou,  de 16 de março a 29 de maio, mais de 1 milhão de novas contratações, equivalentes a mais de R$ 7,8 bilhões investidos na Região. Destes, R$ 4,6 bilhões foram direcionados a mutuários de micro e pequeno porte, pulverizados em mais de 1 milhão operações.

Os maiores valores contemplaram operações não rurais, com R$ 6,3 bilhões distribuídos em 917,4 mil contratações. As operações rurais somaram R$ 1,5 bilhão, correspondentes a 107,4 mil contratações.

Do montante contratado, o Crediamigo alcançou 890,2 mil operações, no valor de R$ 2,1 bilhões.

Compartilhe:

Leia Também

Covid-19: crise no setor de transportes em Sergipe

Kaio Lôbo (*) Os motoristas, cobradores e demais servidores do setor de transporte coletivo ainda …

Deixe uma resposta