quinta-feira, 13/05/2021
Cesar Santana, superintendente do BNB em Sergipe: "foi um ano desafiador"

Banco do Nordeste aplicou R$ 1,5 bilhão no ano passado em Sergipe

O Banco do Nordeste aplicou em 2020, em Sergipe, R$ 1,5 bilhão, perfazendo mais de 205 mil contratações. Dessas, 177 mil operações foram realizadas pelo Crediamigo, que destinou cerca de R$ 394,6 milhões para microempreendedores sergipanos.

Por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), foi aplicado o total de R$ 1,11 bilhão no Estado. No âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o volume contratado atingiu R$ 137,1 milhões, dos quais R$ 109,5 milhões foram aplicados pelo programa de microcrédito rural, Agroamigo. Já as micro e pequenas empresas (MPEs) sergipanas foram beneficiadas com R$ 248,8 milhões em volume de crédito.

Para o superintendente do Banco do Nordeste em Sergipe, César Santana, “neste ano desafiador, nosso trabalho tem fortalecido o setor produtivo de maneira substancial. Sempre colocamos a vida das pessoas em primeiro lugar, além da sobrevivência das empresas e, em 2020, foi necessário fazer mais com menos”.

Um dos principais objetivos, segundo ele,  “foi manter os empreendimentos vivos com a manutenção dos empregos e, ao fim do exercício, registramos a maior alocação de recursos da história do BNB em Sergipe. O resultado é fruto do trabalho eficiente de todo o corpo funcional, que mantém o compromisso com a missão de desenvolver a região de forma sustentável”.

Números totais

Em toda a sua área de atuação, que compreende os estados do Nordeste, o norte de Minas Gerais e o norte do Espírito Santo, o banco investiu R$ 39,8 bilhões. Os resultados incluem R$ 25,8 bilhões aplicados com recursos do FNE, por meio de 1,35 milhão de operações de crédito, que beneficiaram empreendedores de todos os portes.

Do total aplicado na região, R$ 12,1 bilhões chegaram a microempreendedores urbanos por meio do programa Crediamigo, o maior programa de microfinança urbana da América do Sul, que oferta crédito produtivo e orientado para capital de giro e investimentos. O montante aplicado foi 14% maior que o do ano anterior.

O volume de crédito ofertado no âmbito do Pronaf alcançou R$ 3,4 bilhões, por meio de 583 mil operações contratadas no período. Destas, 96,8% empregaram a estratégia de microcrédito produtivo na área rural, por meio do Agroamigo. Assim, o programa investiu R$ 2,9 bilhões, volume 15% maior que o de 2019.

Das operações realizadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, 57% foram contratadas com empreendimentos localizados em zonas de  semiárido. Trata-se de investimento de R$ 14,7 bilhões que dinamizaram a economia de localidades economicamente menos favorecidas, promovendo a integração competitiva desses municípios à base produtiva regional.

Recorde em MPE

No que se refere ao porte dos empreendimentos, foram aportados R$ 4,6 bilhões para as mini, micro e pequenas empresas, totalizando 49,4 mil operações. Trata-se do maior volume contratado com o segmento MPE na história do BNB, com percentual de 26,8% maior frente ao ano anterior.

“Os resultados mostram o Banco do Nordeste cumprindo seu papel, fazendo o recurso chegar na ponta, na mão de quem precisa e apoiando empresas e produtores nesse ano diferente e desafiador que vivenciamos. Os recursos ofertados atuaram como um pilar importante na continuidade de vários negócios na área de atuação da empresa”, afirma o presidente do BNB, Romildo Carneiro Rolim.

Leia Também

Arrecadação de ICMS em Sergipe aumenta 6,1% em abril

A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em Sergipe somou R$ …