quinta-feira, 25/04/2019
Início » Editorias » Política » Vincentinho levará intimação a Dilma
Duplichaves
Senador Vicentinho Alves (D), 1º Secretário do Senado, ao lado do presidente Renan Calheiros na sessão que votou a instauração do processo de impeachment Foto: Agência Senado

Vincentinho levará intimação a Dilma

Publicado em 12 de maio de 2016, 12:40

Ainda hoje pela manhã quinta-feira (12), o 1º secretário do Senado, senador Vicentinho Alves (PR-TO), levará à presidente Dilma Rousseff mandado de intimação assinado pelo presidente da Casa, Renan Calheiros, comunicando a instauração do processo de impedimento por crime de responsabilidade.

Por 55 votos a 22 e duas ausências, o senadores afastaram a presidente Dilma Roussef do cargo, por um prazo de até 180 dias.

No mandado de intimação, Renan Calheiros lembra que a Câmara dos Deputados autorizou a instauração do processo e que o Senado admitiu o seu prosseguimento em sessão iniciada no dia 11 de maio e encerrada na manhã desta quinta-feira (12).

Segundo informa o documento, a presidente deverá ficar afastada de suas funções até a conclusão do julgamento do processo de impeachment pelo Senado ou até 180 dias como determina a Constituição.

No período de afastamento, Dilma Rousseff manterá as prerrogativas do cargo relativas ao uso da residência oficial, segurança pessoal, assistência à saúde, transporte aéreo e terrestre, remuneração e equipe a serviço no gabinete pessoal.

Presidente do Supremo

Renan Calheiros também informou que às 16h desta quinta-feira (12) haverá uma reunião da Mesa Diretora, com a participação do presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, que assumirá a presidência do Senado para os fins do processo de impeachment.

Também devem participar o presidente da Comissão Especial, Raimundo Lira (PMDB-PB), o relator Antonio Anastasia (PSDB-MG) e líderes partidários.

Agência Senado de Notícias

JOB Connect - Coworking e Escritório VirtualPowered by Rock Convert

Leia Também

Moraes revoga própria decisão de censura a sites

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes revogou, há pouco, a decisão …