terça-feira, 23/10/2018
Início » Editorias » Política » ‘Vamos apoiar  Valadares Filho ao Governo de Sergipe”
Duplichaves
Antônio Cláudio Neves, presidente estadual do PPL

‘Vamos apoiar  Valadares Filho ao Governo de Sergipe”

Share Button

Desde dezembro do ano passado, que o Partido Pátria Livre (PPL) em Sergipe está sendo presidido pelo médico geriatra Antônio Cláudio Neves que, nestes últimos seis meses deu um novo upgrade à sigla. Convocou os antigos associados, tem trazido gente nova e já está articulando a vinda do pré-candidato a presidente João Vicente Goulart para Sergipe a fim de conversar com o eleitorado.

O anúncio da pré-candidatura de João Vicente foi no dia 13 de março passado, quando também foi conhecido o nome do vice, o professor da Universidade Católica de Brasília (UCB), Léo Alves. Pelo calendário eleitoral, os candidatos só serão confirmados entre 20 de julho a 5 de agosto, período em que poderão ser realizadas as convenções partidárias.

Em Sergipe, o PPL já definiu, em assembleia, apoiar o pré-candidato a governador, Valadares Filho, PSB. “Houve uma preferência, na votação interna do partido, para o nome de Valadares Filho, pelo menos 70% do pessoal”, afirmou Antônio Cláudio, ao ressaltar que ainda falta formalizar oficialmente esse apoio. O PPL também tem como candidato ao Senado, o ex-presidente da OAB, Henri Clay Andrade, e outros nomes para deputado federal como Alealdo Hilário.

Embora tenha recebido vários convites para ser candidato a algum cargo eletivo, Antônio Cláudio, por enquanto, prefere continuar arrumando o partido, defendendo uma política com ética, além das causas dos aposentados. E claro, trazendo mais gente para se somar ao projeto político do partido. “Hoje o PPL defende vários grupos: a representatividade da sociedade, como a igualdade racial, temos os aposentados, dirigentes do Sindipetro, feirantes, Uber, OAB e alguns colegas médicos”, disse.

Essa semana, Antônio Cláudio Neves conversou com o Só Sergipe.

SÓ SERGIPE – Como ocorreu sua indicação para assumir a presidência do PPL em Sergipe?

ANTÔNIO CLÁUDIO NEVES – Fui indicado pela Confederação Nacional dos Aposentados do Brasil e assumi a presidência em dezembro do ano passado e tive o nome referendado numa assembleia, que reuniu representantes de 20 Estados.  Foi uma decisão dos idosos que participam da executiva nacional do PPL, que escolheram esse partido para defender a causa dos aposentados e idosos. E essa Confederação Nacional me indicou e solicitou que eu assumisse o partido para defender uma política com ética e as causas dos aposentados. Tanto que já fizemos caminhada em defesa dos aposentados.

SS- E o fato do senhor ser um geriatra, isso também ajudou?

ACN – Eu trabalho em defesa dos idosos há muitos anos, tanto aqui em Sergipe como nacionalmente.

SS – Quais são suas metas como presidente do PPL em Sergipe?

ACN – Fazer o partido ter uma imagem mais forte, defendendo os princípios como ética e honestidade, mas, sobretudo, da eficácia. Tem que ter competência nas gestões.  Hoje o PPL defende vários grupos: a representatividade da sociedade, como a igualdade racial, temos os aposentados, dirigentes do Sindipetro, feirantes, Uber, OAB e alguns colegas médicos.

SS – E como o partido vai trabalhar agora, já que estamos às vésperas das eleições?

ACN – Fizemos uma assembleia no último encontro estadual, colocamos os partidos mais fortes para vermos a tendência da coligação. Houve uma preferência, na votação interna do partido, para o nome de Valadares Filho, pelo menos 70% do pessoal.  Então vamos fazer uma coligação com o partido de Valadares Filho.

SS – E o PPL terá candidatos?

ACN – Temos Henri Clay para o Senado e Alealdo para deputado federal.

SS – Será a primeira que o partido poderá ter representatividade estadual e federal?

ACN – Teremos vários candidatos a deputado estadual, agora demos a ênfase a estes dois na esfera federal.

SS – E o senhor, enquanto presidente do partido, tem pretensão em sair candidato?

ACN – Já houve conversas, mas não tem nada decidido ainda. No papel, arrumar o partido e cuidar do idoso. Estou fazendo meu papel, mas até o momento não coloquei meu nome para nada ainda. O pessoal do partido tem dito que tenho um bom perfil, mas prefiro ficar quieto, por enquanto.  Não sei o que vai acontecer, ainda vai ter tempo para isso.

SS – Mas o tempo corre. Julho será o prazo final para estar tudo arrumado.

ACN – Praticamente tudo fechado com Valadares, pois a assembleia decidiu assim.

SS- Quantos filiados tem o partido?

ACN – Filiados junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nós temos mais de 1 mil. A relação é grande, mas nesse pouco tempo não consegui conversar com todos. Tentei alguns. Aqueles com os quais já conversei, estão atuando e levei, também, pessoas novas.  Estou à frente junto com Alealdo Hilário, do Sindipetro, e João Valmir de Souza, que  é presidente da Federação Estadual dos Aposentados.

Pré-candidato do PPL à presidência, João Vicente Goulart, virá a Sergipe. Foto: Wikipédia

SS – É sua primeira experiência no campo político?

ACN – Como dirigente de partido é a primeira vez e também nunca fui candidato a nenhum cargo eletivo. Há mais de 15 anos, João Valmir me chamou para ser candidato. No Encontro Nacional dos Aposentados, em Pernambuco, onde tinha mais de 700 associações de todo País, eles pediram que eu fosse candidato aqui em Sergipe.  Tive o pedido nacional para isso. Aceitei arrumar o partido, mas não cogitei colocar meu nome para ser candidato.

SS – Quem é o representante nacional do PPL?

ACN – Hoje, a referência nacional nossa para presidência da República é João Vicente Goulart, filho do ex-presidente João Goulart, homem que criou o 13º salário, defendeu os trabalhadores, coisas que a geração nova nem sabe. É nosso pré-candidato já aprovado.  O partido tem ficha limpa e bom histórico. Está prevista a vinda de João Goulart Filho nos próximos 30 dias, assim como Varlei, presidente da Confederação Nacional dos Aposentados.

 

 

Share Button
WWebsites

Leia Também

TSE divulga carta garantindo segurança das urnas eletrônicas

Pressionada pelas constantes declarações  questionando a  credibilidade das urnas eletrônicas, a presidente do Tribunal Superior …