quarta-feira, 22/05/2019
Início » Editorias » Política » Três deputados serão julgados hoje
Duplichaves
Deputado estadual Venâncio Fonseca pode ser cassado hoje. Foto: Maria Odília/Agência Alese

Três deputados serão julgados hoje

Publicado em 3 de dezembro de 2015, 12:45

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) faz hoje, 3,  julgamento dos deputados estaduais Zezinho Guimarães, Venâncio Fonseca e Zeca da Silva, acusados de desvio de verbas das subvenções da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). O juiz deve pedir a cassação de Venâncio, enquanto que no caso de Zeca, o reconhecimento de inegibilidade. Ontem, foram cassados os mandatos de Gustinho Ribeiro e Jeferson Andrade. Cada um deles também pagará a multa máxima de R$ 106 mil.

Com estes julgamentos, chega a sete o número de deputados cassados após as investigações do caso de desvios de recursos da Alese. Na próxima quinta-feira, 10, serão julgados Antônio Passos Sobrinho (multa), Maria Angélica Guimarães Marinho, Susana Maria Fontes Azevedo e José do Prado Franco Sobrinho, o Zé Franco (reconhecimento de inelegibilidade).

No julgamento de Gustinho Ribeiro, a tese do Ministério Público Federal (MPF) era de que, além de transferir recursos para entidades administradas por seus familiares, Ribeiro desviou recursos através de associações de fachada, ligadas a seu grupo político.

Em seu voto, o juiz relator Fernando Escrivani afirmou que, inicialmente, pretendia aplicar a pena de multa, mas que os dados das sustentações orais do Ministério Público e da defesa do deputado, além de documentos apresentados no dia anterior pelos advogados, ajudaram a dirimir a dúvida de que a Associação dos Amigos do Conjunto Siri (Amacos), de Nossa Senhora do Socorro, foi usada para desviar recursos, inclusive contando com uma ex-assessora de Gustinho Ribeiro, que era a tesoureira da entidade.

No caso de Jeferson Andrade, a Procuradoria Regional Eleitoral de Sergipe (PRE/SE) argumentou que a concentração de R$ 1,3 milhão de verbas de subvenção de Jeferson Andrade em apenas três entidades de fachada é um indício forte da responsabilidade e do interesse do deputado no desvio dos recursos.

O juiz relator Fernando Escrivani acompanhou a tese do MPF e afirmou que a maciça concentração de soma em três entidades “obscuras, erráticas e despidas de estrutura para receber aportes de tamanho vulto” não tinha justificativa. Para o juiz, o deputado agiu em conluio com os dirigentes das entidades para desvio da quase totalidade dos recursos.

Diferente de outros casos já julgados, onde mais de um deputado destinava recursos para uma entidade, Andrade foi único parlamentar a repassar recursos para essas três associações, no entendimento do juiz, ‘se tornando exclusivo no controle do esquema”.

Relembre – Em dezembro de 2014, a Procuradoria Regional Eleitoral em Sergipe (PRE/SE) ajuizou 25 ações contra 23 deputados da legislatura vigente à época na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), por irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social.

Também foi processada a ex-deputada e atual conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Suzana Azevedo. Além de os valores terem sido repassados ilegalmente, por conta de proibição na legislação eleitoral, o levantamento inicial identificou pelo menos R$ 12,4 milhões desviados de sua finalidade.

JOB Connect - Coworking e Escritório VirtualPowered by Rock Convert

Leia Também

Belivaldo e mais 13 governadores pedem revogação do decreto das armas

Catorze, dos 27 governadores brasileiros, entre eles o de Sergipe, Belivaldo Chagas, assinaram uma carta …