quarta-feira, 22/05/2019
Início » Editorias » Negócios » TAM não informa sobre operações em Aracaju
Duplichaves

TAM não informa sobre operações em Aracaju

Publicado em 21 de julho de 2015, 12:08

Apesar de ter anunciado na segunda-feira, através de um comunicado oficial, de que haverá redução no número de funcionários e também no de rotas, a companhia aérea TAM não deu informações de como essas medidas poderão afetar o Estado de Sergipe. A companhia opera com quatro voos diários saindo de Aracaju, sendo dois na madrugada e dois no período da tarde. “Tem dias que são apenas três”, confirmou um funcionário da empresa.

Questionada se haverá redução nesse número de voos, a empresa respondeu “que as rotas estão em definição, no entanto, para garantir o melhor atendimento aos seus clientes, a TAM não deixará de operar em nenhum dos destinos e aeroportos onde hoje está presente”.

Por meio da assessoria de imprensa, a TAM mantém o discurso de que a estimativa é de que o quadro total da companhia seja reduzido em 2%, já incluindo a rotatividade natural da empresa. “Não haverá impacto nas esquipes de tripulação, dado aos planos de crescimento de médio prazo. A companhia dará apoio aos colaboradores impactados por meio de consultorias especializadas em recolocação profissional”, disse a nota.

A presidente da companhia, Cláudia Sender, afirmou que “a TAM está tomando esta medida para enfrentar um contexto econômico difícil no Brasil. Por isso se faz necessário buscar ajustes de malha sem prejudicar a conectividade dos nossos passageiros e fortalecendo ainda mais nossa competitividade no país”.

Em maio, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) já apontava para uma estagnação da demanda doméstica do setor, registrando crescimento de apenas 1% em relação ao mesmo mês do ano anterior. “O cenário que temos descrito desde o segundo semestre de 2014 segue inalterado. Com menos negócios sendo fechados no país, se reduzem as viagens de trabalho e a aviação perde um público importante em quantidade e qualidade de receitas”, disse Eduardo Sanovicz.

Leia Também

Belivaldo e mais 13 governadores pedem revogação do decreto das armas

Catorze, dos 27 governadores brasileiros, entre eles o de Sergipe, Belivaldo Chagas, assinaram uma carta …