terça-feira, 18/06/2019
Início » Editorias » Cidades » Frente quer colocar 15 mil nas ruas amanhã
Duplichaves
Coletiva hoje pela manhã na sede da CUT Foto: Frente Sergipana

Frente quer colocar 15 mil nas ruas amanhã

Publicado em 19 de agosto de 2015, 20:29

coletiva frente doisA Frente Sergipana Brasil Popular espera reunir, em Aracaju, amanhã, quinta-feira, 20, cerca de 15 mil pessoas numa caminhada de apoio à presidente Dilma Rousseff e pela democracia no País, com a participação de sindicatos, movimentos populares e partidos políticos.  Num manifesto divulgado pelos organizadores há uma crítica ao Poder Judiciário e ao Ministério Público que “querem assumir o papel de outros poderes, assumir o papel de polícia e desrespeitar a Constituição”.  A passeata começa por volta das 14 horas, com concentração na praça General Valadão e caminhada  será pelas principais ruas da capital, como as avenidas Pedro Calazans, Hermes Fontes e Adélia Franco.

Durante a entrevista coletiva, hoje pela manhã, 19, o diretor da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Roberto Silva, convidou a sociedade a participar do ato, pois entende que o Brasil pode sofrer um golpe. “A direita que perdeu a eleição, não admite essa derrota e está ameaçando o processo democrático”.  O vice-presidente da CUT, Plínio Pugliesi, diz que o ato será “um encontro de demandas populares do conjunto da classe trabalhadora, com pautas que afirmam a democracia e os direitos, diferente das manifestações que tentam pregar o retrocesso, desrespeitar a democracia e violar as leis”, numa referencia aos atos de domingo passado.

reforma tributáriaPor outro lado, o coordenador geral do Movimento Sem Terra em Sergipe (MST), Gileno Damascena, denuncia que setores da sociedade se arquitetam contra o governo Dilma Rousseff e querem destruir a democracia do país. Setores da sociedade, na visão de Damascena, não suportam ver a população viajando de avião, cursando universidade, práticas impossíveis em outros tempos no País.

Maçonaria – A Frente Sergipana Brasil Popular também distribuiu um manifesto onde reafirma a tentativa de golpe contra a presidente Dilma. “Nunca se viu o que está se vendo agora: a tentativa, por parte do presidente da Câmara dos Deputados, às vezes em conluio com o presidente do Senado, de usurpar os poderes presidenciais e impor ao país uma pauta conservadora que não foi a vitoriosa nas eleições de 2014”.

O manifesto diz, ainda, que “os inconformados com o resultado das eleições ou com as ações dos mandatos recém-nomeados têm todo o direito de fazer oposição, manifestar-se e lançar mão de todos os recursos previstos em lei. Mas consideramos inaceitável e somos contra as contínuas tentativas de setores da oposição e da mídia, que buscam criar, através de procedimentos ilegais, pretextos artificiais para a interrupção da ilegalidade democrática”.

A Frente, que congrega cerca de 30 entidades, elencou as principais defesas e reivindicações ao Governo Dilma Roussef. Entre elas, estão as reformas agrária e urbana; a democratização dos meios de comunicação; a reforma tributária com taxação das grandes fortunas; a democratização do Poder Judiciário; a reforma política, com garantia de participação popular; e uma nova política econômica, em que a população não tenha seus direitos cortados, com ganhos reais e reposição da inflação para os trabalhadores, com valorização dos servidores públicos e da iniciativa privada e dos aposentados.

Não será somente a Frente que estará se mobilizando nesta quinta-feira. A Maçonaria sergipana também fará panfletagem pela manhã e à tarde, nas principais ruas de Aracaju.  O trabalho é conjunto com as duas potências maçônicas existentes no Estado: Grande Oriente de Sergipe e Grande Loja. No caso dos maçons, eles são apartidários e lutam contra a corrupção no Brasil.
JOB Connect - Coworking e Escritório VirtualPowered by Rock Convert

Leia Também

Edvaldo anuncia que não haverá ponto facultativo sexta, 21

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, anunciou que não decretará ponto facultativo na sexta-feira, 21, …