quinta-feira, 21/06/2018
Início » Editorias » Cidades » De 2011 a 2015, 650 pessoas se suicidaram em Sergipe
Converse com os familiares e amigos e evite uma tragédia

De 2011 a 2015, 650 pessoas se suicidaram em Sergipe

Share Button

De 2011 a 2015, 650 pessoas em Sergipe se suicidaram, segundo dados do Ministério da Saúde que, neste mês faz a campanha “Setembro Amarelo” com o objetivo de valorizar a vida. O ano, com o maior número de suicídios foi 2013, com 140 casos, enquanto que o menor incidência ocorreu em 2012 com 118.

“Tirar a vida não é o melhor caminho nunca. Se algo te atormenta coloque para fora, converse, procure um profissional para esclarecer as dúvidas, tente combater esse mal. Procure pensar o quanto é sofrido para os que ficam também”. O conselho é uma pessoa que tevê um primo, que considerava como um irmão, que se suicidou. O rapaz, na época, com 24 anos, viveu em Aracaju e em São Paulo.

E foi na capital paulista, depois de planejar a própria morte,  que o rapaz saiu de casa e nunca mais voltou. “Depois de quase uma semana acharam o corpo em um rio de São Paulo e era o dele. Ficamos arrasados. Curiosamente eu tentei falar com ele nesse dia para chama-lo pra voltar pra cá (Aracaju), mas ele tinha ido na padaria e quando voltou meu outro primo esqueceu de dar o recado que eu tinha ligado”, relembra a familiar.

Um coisa fundamental para evitar que uma pessoa cometa o suicídio é observar o outro. “Para as famílias das pessoas com depressão, procure ajudar, não pense que isso é uma brincadeira porque não é. No primeiro sinal, converse, ajude. Tudo isso é muito importante. Muitas pessoas precisam de ajuda para não cometer o suicido”, ressalta.

Alerta – Em alusão ao setembro amarelo, mês de conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio, o Ministério da Saúde divulgou, o primeiro Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil. Um dos alertas é a alta taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos.

Nessa faixa etária, foram registradas média de 8,9 mortes por 100 mil nos últimos seis anos. A média nacional é 5,5 por 100 mil. Também chamam atenção o alto índice entre jovens, principalmente homens, e indígenas. O diagnóstico inédito vai orientar a expansão e qualificação da assistência em saúde mental no país.

O Ministério da Saúde, com base nos dados do boletim, lançou uma agenda estratégica para atingir meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de redução de 10% dos óbitos por suicídio até 2020. Entre as ações, destacam-se a capacitação de profissionais, orientação para a população e jornalistas, a expansão da rede de assistência em saúde mental nas áreas de maior risco e o monitoramento anual dos casos no país e a criação de um Plano Nacional de Prevenção do Suicídio. Desde 2011, a notificação de tentativas e óbitos é obrigatória no país em até 24h.

 

Share Button
WWebsites

Leia Também

Mais de 10 mil feminícidios ficaram sem solução no Brasil em 2017

No ano passado, mais de 10,7 mil processos sobre assassinatos de mulheres no Brasil ficaram …