quarta-feira, 13/12/2017
Início » Editorias » Negócios » Concessão de crédito ultrapassou R$ 18,2 bi

Concessão de crédito ultrapassou R$ 18,2 bi

Share Button

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Banco Central, revelou que as operações de crédito, em Sergipe, em abril, ultrapassaram os R$ 18,2 bilhões. Na comparação com o mês imediatamente anterior, março último, a concessão de crédito manteve-se estável.

O crédito concedido no mês de abril apresentou expansão de 5%, em relação ao total concedido em abril do ano passado. Nos primeiros quatro meses do ano corrente o volume total de crédito concedido no estado, assinalou alta de 4,2% em relação ao mesmo período de 2015, variações sem considerar o efeito da inflação no período.

As operações de crédito de pessoas físicas passaram de R$ 12,2 bilhões, assinalando crescimento de 7,9% no comparativo anual (abril/2015), mantendo-se, praticamente, estável em relação ao terceiro mês do ano, com leve alta de 0,1%. De janeiro a abril, o crédito destinado às pessoas físicas cresceu 9,1%.

O crédito para pessoa jurídica caiu 0,6% em relação ao volume de crédito de abril do ano passado, movimentando pouco mais de R$ 6 bilhões. Em relação ao terceiro mês do ano, também houve recuo, porém de 0,3%.
No primeiro quadrimestre de 2016, o volume de crédito concedido às empresas sergipanas recuou 4,3% em relação aos quatro primeiros meses do ano passado.

A taxa geral de inadimplência das operações de crédito, referente aos atrasos superiores a noventa dias, no último mês de abril, situou-se em 4,83%. Sendo que a taxa de inadimplência das pessoas físicas ficou em 4,73%, e para as pessoas jurídicas, a taxa de inadimplência foi de 5,02%.

Share Button
WWebsites

Leia Também

A manteiga encareceu a cesta básica em Aracaju
Foto: Divulgação

Cesta básica de Aracaju aumentou 0,2%

A cesta básica de Aracaju teve uma alta em novembro de 0,2%, ficando em R$ ...

Deixe uma resposta