domingo, 16/12/2018
Início » Colunistas » Carolina Matias » Aquilo que as cartas não te contam
Duplichaves

Aquilo que as cartas não te contam

Share Button
Ana Carolina Matias

Romances que começam aleatoriamente são os melhores da nossa vida né? Quando você menos espera, esbarra em uma pessoa e ela passa a fazer parte da sua vida de alguma forma e assim acaba virando um relacionamento, um bom e precioso relacionamento.  É assim que eu vejo o início desse clássico moderno do grande Nicholas Sparks, Querido John.

Quem nunca chorou assistindo ao filme? Nicholas é mestre nisso. Mas o livro,puxa!! Sem condições. A intensidade do amor e do caminho do casal é algo que é quase palpável. Você se sente no lugar dos personagens, o difícil caso de manter um relacionamento à distância por conta da guerra; a comunicação por cartas, o peso de lidar com os problemas que ficam com você enquanto seu parceiro está na guerra;  a preocupação com quem você deixou, é algo de arrasar.

Mas, para mim, o final é a pior parte. Não contarei obviamente, mas junto ao “Diário de uma paixão”, esse foi o livro dele que mais me fez chorar e mais me indignou também. É uma leitura que vale tanto a pena para aqueles que acreditam no amor puro, no amor pela família e pelos amigos. Amores que, em algumas circunstâncias podem machucar uns aos outros, mas que selam um destino. Querido John, você é para mim, um dos melhores livros.

Obrigada Nicholas.

Share Button
WWebsites

Leia Também

Sergipe e Estanciano decidem título na categoria sub-18

Nessa quinta-feira, 13, às 15:30h, no Baptistão, Sergipe e Estanciano decidirão o título de campeão …